resenha 1

resenha 1
Ensaio sobre a cegueira Saramago

resenha 2

resenha 2
Uma duas Eliane Brum

resenha 3

resenha 3
ao farol virgínia woolf

resenha 4

resenha 4
mulheres de cinzas mia couto

resenha 5

resenha 5
Extraordinário Luandino Vieira

resenha 6

resenha 6
Luuanda Luandino Vieira
28.9.17

Novidades literárias #1

Irmão de John Green será publicado no Brasil

         Hank Green, youtuber do canal Blogbrothers e irmão do famoso John Green, irá publicar um livro e a editora Companhia das Letras anunciou detém os direitos sobre o livro aqui no Brasil. Ou seja, teremos Hank Green também! Alguém ansioso pela leitura? O romance envolve robôs desconhecidos e o medo que a aparição pela Terra de muitos deles gera. Veja o que a editora divulgou:
         Vlogueiro, produtor e músico, Hank Green, mais conhecido pelo canal Vlogbrothers, criado com seu irmão John Green, lançará em 2018 seu primeiro romance. An Absolutely Remarkable Thing (ainda sem título em português) tem lançamento previsto nos EUA para o outono de 2018.
         O romance conta a história de April May, uma estudante de arte que vive em Nova York e tem um encontro inusitado com uma gigantesca estátua de robô em plena Manhattan. Com a ajuda de um amigo, Andy Skampt, ela filma a criatura e o batiza de Carl. Quando o vídeo viraliza, April descobre que há vários “Carls” espalhados por dezenas de cidades em todo o mundo, e ninguém sabe como eles chegaram lá. April se vê no centro desse mistério, e tenta descobrir o que esses robôs gigantes são, e o que querem da Terra.
         Original e envolvente, An Absolutely Remarkable Thing trata de temas importantes para os dias atuais: como lidamos com o medo e o desconhecido e, principalmente, sobre como as redes sociais estão mudando o modo com que lidamos com a fama, a retórica e a radicalização.
         Hank Green sabe muito bem o que é ser uma figura pública da internet. Ele começou a fazer vídeos no YouTube em 2007 com seu irmão, John Green, autor de best-sellers como A culpa é das estrelas e Cidades de papel. Desde então, a dupla conquistou uma grande comunidade de fãs, conhecidos como Nerdfighters, ao falar sobre ciência e cultura pop. Seus vídeos, incluindo os produzidos pela sua produtora educacional, já ultrapassam a marca de 2 bilhões de visualizações.
         Sobre o livro, Green afirma que “estamos vivendo em um momento realmente esquisito, e a história de April ajuda a esclarecer essas estranhezas que parecem ficar cada vez mais normais. É uma história que eu queria contar há muito tempo, bastante inspirada nas minhas experiências pessoais, mas é a história da April, e foi um prazer vê-la viver essa vida notável”.
Sobre o autor
Hank Green é CEO da Complexly, uma produtora que cria conteúdos educacionais como os canais Crash Course e SciShow. Os vídeos da Complexly já receberam mais de 2 bilhões de visualizações no YouTube. Ele é co-criador da websérie The Lizzie Bennet Diaries e co-fundador de uma série de pequenos negócios como o DFTBA.com, que ajuda artistas e criadores de conteúdo a venderem seus trabalhos na internet, e a VidCon, maior conferência de criadores de vídeos para internet do mundo. Em 2017, a VidCon teve 40.000 participantes em eventos espalhados em cidades como Anaheim, Amsterdam e Austrália. Hank e John Green também criaram o Project for Awesome, que no ano passado levantou mais de $2,000,000 para entidades carentes como Save the Children e Partners in Health. Hank vive em Montana com sua esposa, seu filho e seu gato.

A Turma da Mônica em francês


         As graphic novels Bidu – Caminhos, de Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho, e Penadinho – Vida, de Paulo Crumbim e Cristina Eiko, publicadas aqui no Brasil pela Graphic MSP, serão traduzidas para o francês. As reinterpretações de personagens famosas de Mauricio de Sousa por outros artistas são voltadas para o público juvenil e adulto, e lá na França Penadinho sairá pela Glénat e se chamará Fantomino, e Bidu, pelo selo Vents D'Ouest, com o título Bidou – Une vie de chien. Uma projeção e tanto!




Lançamentos

         O famoso escritor de Moby Dick também possui um outro título um tanto quanto famoso, principalmente entre o pessoal das humanas: Bartleby, o escrivão. Ele recentemente ganhou duas edições publicadas pela Jose Olympio (compre na Amazon) e pela Ubu (compre na Amazon).

"É uma daquelas obras que deixa os leitores sem certezas para definir quem seria o personagem tão peculiar. Ao fazer da voz do patrão, um advogado, o narrador, Herman Melville, autor de Moby Dick, dá campo e distância a um olhar original sobre a história de um funcionário excêntrico e de comportamento talvez depressivo, que aos poucos, progressivamente, se recusará a cumprir suas obrigações. A situação logo chega ao limite. Não há alternativa senão demiti-lo. Neste momento, o livro tem acentuadas suas cores fantásticas: porque, falhadas todas as tentativas de despedir Bartleby, o advogado então decide mudar-se e deixar o escritório e o escrivão para trás. É quando o tom fantasmagórico controla a trama: o homem aprofunda-se na inércia da negação e se recusa a abandonar a sala e o prédio em que trabalhara – até ser levado preso."
         Já a Companhia das Letras vem surpreendendo com a publicação de alguns títulos que antes pertenciam à finada Cosac Naify. Já foi a vez de Anna Kariênina (compre na Amazon), agora é a de O som e a fúria (compre na Amazon), grande clássico escrito por William Faulkner, que conta a história da decadência de uma família sulista dos EUA, os Compson, e que traz, como primeira parte, a narrativa sob a perspectiva de um dos filhos, que possui alguma deficiência psicológica não denominada na obra, mas que toma por completo o fluxo narrativo, tornando a experiência de lê-lo, linda! Outro lançamento que me entusiasmou bastante foi de uma nova obra do escritor nacional Milton Hatoum, que adoro e fazia, como sempre, alguns longos (9) anos que não publicava nada novo. Na realidade, será uma trilogia que "retrata a formação sentimental, política e cultural de um grupo de jovens na Brasília dos anos 1960 e 1970", e tem como primeiro título o A noite da espera (compre em pré-venda).

Em pré-lançamento


         H. G. Wells é muito mais conhecido aqui no Brasil por obras como A máquina do tempo e O homem invisível. Porém, o reconhecido autor de ficção científica possui uma obra extensa que não encontramos na íntegra por aqui. Ajudando na publicação de obras nem tão famosas dele, a editora Carambaia divulgou esta caixa com dois romances do autor: "A guerra no ar e O dorminhoco, que me parece lindíssima! Ainda divulgaram que está com 10% de desconto. Para quem não sabe, esta editora tem publicações muito bem pensadas, com projetos gráficos incríveis e, geralmente, um número limitado de exemplares.


         Já a minha querida editora Morro Branco está com a pré-venda de um ficção científica, o Laços de sangue. Diferentemente do lançamento da Carambaia, este é de uma escritora, ou seja, ficção científica escrita por uma mulher! Nesta obra, temos a protagonista, Dana, uma mulher negra que vive na década de 1970 nos EUA, mas viaja no tempo e vai parar no início do século XIX, numa época escravocrata. Mas, para piorar a sua situação, os seus algozes, os brancos donos de escravos, são seus antepassados. Como será a sua vida num local opressor, tendo uma consciência e valores do século XX? A editora está apostando, pela primeira vez, numa edição também em capa dura, além da normal, comemorando a publicação de uma escritora importantíssima que nunca foi traduzida no Brasil antes! Este livro me é ainda mais especial porque participei do processo de revisão dele, e foi uma experiência maravilhosa. Leiam, é realmente marcante esta obra! (Compre a capa dura ou compre a capa normal).

Fontes: Publishnews / Companhia das Letras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)