resenha 1

resenha 1
a amiga genial elena ferrante

resenha 2

resenha 2
só garotos patti smith

resenha 3

resenha 3
ao farol virgínia woolf

resenha 4

resenha 4
mulheres de cinzas mia couto

resenha 5

resenha 5
Extraordinário Luandino Vieira

resenha 6

resenha 6
Luuanda Luandino Vieira
10.7.17

Extraordinário, de R. J. Palacio

Extraordinário, escrito por R. J. Palacio


Editora: Intrínseca
Páginas: 320
ISBN: 9788580573015
Tradutora: Rachel Agavino
August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade - um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Que livro!

Já no primeiro capítulo, temos uma boa ideia do que esperar. Auggie é um garoto com uma aparência que assusta quem o vê pela primeira vez. Ele se sente um garoto de 10 anos normal, que gosta das mesmas coisas que outros da sua idade, mas não é assim que os outros lhe enxergam.
"Essas coisas me fazem ser comum. Por dentro. Mas sei que as crianças comuns não fazem outras crianças comuns saírem correndo e gritando do parquinho. (...) A única razão de eu não ser comum é que ninguém além de mim me enxerga dessa forma."
Sua família é incrível. Apesar de todas as dificuldades, seus pais e Via, sua irmã mais velha, fazem tudo que podem para protegê-lo e encorajá-lo. Nem sempre é fácil. O aprendizado é constante. Mas a vontade e disposição de fazer certo é maior.

Na escola, não é tão fácil assim. Auggie é diferente demais para ser facilmente aceito pelas outras crianças. Uma diferença que assusta, intima e impede que os alunos o vejam além das aparências. A não ser por umas poucas exceções. Como professora, fiquei encantada com o trabalho dos professores e do diretor para ajudar na integração de Auggie. 

O fato de ter diferentes narradores nos ajuda a ver a situação de uma forma mais ampla e não apenas pela perspectiva do próprio Auggie. O jeito que ele narra a história é encantador, às vezes triste, às vezes engraçado, mas muito verdadeiro. Ainda assim é bom termos outras pessoas que nos ajudam a ver melhor como as coisas são. Também foi legal de ver alguns pequenos detalhes que a autora usou para diferenciar os narradores.

Um dos pontos que o livro nos traz para reflexão é a gentileza. Atitudes simples que levam o outro em consideração e que podem realmente fazer a diferença.
"Se cada pessoa nesse auditório tomar por regra que, onde quer que esteja, sempre que puder, será um pouco mais gentil que o necessário, o mundo realmente será um lugar melhor."
Por fim, o livro é uma grande metáfora da diferença. É muito mais fácil entendermos a situação quando a diferença é gritante na aparência da pessoa, ainda mais no rosto de uma criança. Conseguimos enxergar e entender como chega a ser monstruoso a forma como os outros tratam alguém que por dentro é simplesmente igual aos demais. Ao enxergarmos e refletirmos sobre isso, somos capazes de transpor essa situação para outras menos chocantes, diferenças de cor, raça, nacionalidade, religião, gênero, tamanho, diferença no modo de vestir, de pensar, de se comportar... O livro nos mostra que se transpusermos esse 'obstáculo' da diferença e nos permitirmos conhecer o outro em sua essência, podemos encontrar pessoas extraordinárias escondidas por aí. 
"Eu gostaria que todos os dias fossem Halloween. Poderíamos ficar mascarados o tempo todo. Então andaríamos por aí e conheceríamos as pessoas antes de saber como elas são sem máscara."
Uma leitura encantadora, intensa, envolvente e que transforma o leitor em uma pessoa melhor! 

Um comentário:

  1. O livro parece ser encantador e nos ensinar muitas coisas! Tô louca pra ler <3
    http://www.aquariando.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)