resenha 1

resenha 1
Ensaio sobre a cegueira Saramago

resenha 2

resenha 2
Uma duas Eliane Brum

resenha 3

resenha 3
ao farol virgínia woolf

resenha 4

resenha 4
mulheres de cinzas mia couto

resenha 5

resenha 5
Extraordinário Luandino Vieira

resenha 6

resenha 6
Luuanda Luandino Vieira
2.5.17

Bruxa da Noite, de Nora Roberts

Bruxa da Noite, escrito por Nora Roberts


Editora: Arqueiro
Páginas: 320
ISBN: 9788580413847
Tradutora: Maria Clara de Biase
Com pais indiferentes, Iona Sheehan cresceu ansiando por carinho e aceitação. Com a avó materna, descobriu onde encontrar as duas coisas: numa terra de florestas exuberantes, lagos deslumbrantes e lendas centenárias – a Irlanda.
Mais precisamente no Condado de Mayo, onde o sangue e a magia de seus ancestrais atravessam gerações – e onde seu destino a espera. Iona chega à Irlanda sem nada além das orientações da avó, um otimismo sem fim e um talento inato para lidar com cavalos. Perto do encantador castelo onde ficará hospedada por uma semana, encontra a casa de seus primos Branna e Connor O’Dwyer, que a recebem de braços abertos em sua vida e em seu lar.
Quando arruma emprego nos estábulos locais, Iona conhece o dono do lugar, Boyle McGrath. 
Iona logo percebe que ali pode construir seu lar e ter a vida que sempre quis, mesmo que isso implique se apaixonar perdidamente pelo chefe. Mas as coisas não são tão perfeitas quanto parecem. Um antigo demônio que há muitos séculos ronda a família de Iona precisa ser derrotado.
Em Bruxa da Noite, primeiro livro da trilogia Primos O'Dwyer, temos a história de seis personagens (4 deles bruxos) que se unem por laços de amor e amizade para lutar contra Cabhan, o bruxo do mal. Branna, Connor, Iona, Boyle, Meara e Finn são personagens com características marcantes e que nos cativam desde as primeiras páginas pelo jeito que agem e pelo jeito que cuidam uns dos outros.

Iona chega à Irlanda, encontra seus primos também bruxos que a ensinam a lidar com seu poder. Também encontra Boyle que não é bruxo, mas tem o poder de deixá-la completamente apaixonada.

Os animais da história também são muito importantes. Como Iona é a personagem que mais se destaca nesse primeiro livro (a maioria das cenas são pelo seu ponto de vista ou pelo de Boyle), o animal central é seu guardião: o cavalo. Iona conversa com eles, os entende e ama trabalhar com eles nos estábulos, como guia de passeios ou dando aulas.

A história flui muito bem contando sobre a relação entre as personagens, sobre as descobertas de Iona quanto às suas origens e às suas habilidades, sobre conflitos no relacionamento deles, sobre encontros para planejar como acabar com Cabhan, sobre o trabalho com os cavalos...

De todos os personagens, a Iona foi com quem menos eu me identifiquei, achei ela 'atirada' demais, e acheu que ela falava demais, o que contradizia um pouco com o que eu esperava dela, mas aos poucos fui me acostumando e aceitando melhor.

O Boyle é um cara meio mau-humorado, bronco, que não sabe muito bem lidar com os assuntos do coração, mas gostei muito dele desde o início e cada vez mais a medida que seu relacionamento com Iona se desenvolvia.

Estou lendo o segundo livro da série (mais baseado no Connor) e pretendo ler toda a trilogia para saber como termina a história desses personagens que já considero meus amigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)