23.3.17

Um mais um, de Jojo Moyes

Um mais um, escrito por Jojo Moyes

Editora: Intrínseca
Páginas: 320
ISBN: 9788580576542
Tradutora: Adalgisa Campos da Silva

Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou.
Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno gênio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá?
Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de praia por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente —, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio.
Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.
A capa desse livro combina muito com o que podemos esperar da história: o encontro e convívio de cinco personagens únicas e muito diferentes que aprendem a se enxergar, a se respeitar e a se amar.

E definitivamente, em meio a um enredo previsível onde já sabemos o final logo de cara, as personagens ganham destaque e roubam a cena.

Jess é a mãe solteira e trabalhadora que precisa contar cada centavo do seu dinheiro para conseguir pagar as contas do mês. Ela acredita que pessoas boas são recompensadas, mas encara situações que parecem querer mostrar o contrário. Ela conhece seus filhos, sabe das dificuldades que passam por serem diferentes dos outros e sofre por não poder resolver todos os problemas. Ela representa muitas mulheres reais e sua força chega a ser tocante.

Nicky é seu enteado calado, que se veste diferente e que sofre bullying por fugir dos padrões. Com certeza você também já ouviu falar de alguém assim. Mas apesar disso, ele observa tudo o que acontece e tem um grande coração.

Tanzie é uma menina prodígio que arrebenta em matemática e precisa de oportunidades para desenvolver esse talento. A escola particular parece ser a única saída, mas, para isso, primeiro ela precisa vencer uma Olimpíada de Matemática. A maneira dela de pensar é muito interessante e impressiona o leitor.

Ed é um jovem muito rico que corre o risco de perder tudo. Além disso, ele adorava seu trabalho e agora está afastado dele. Sabe aquelas pessoas que se dedicam exclusivamente a uma única coisa? Pois então, agora sua vida parece ter perdido o sentido. Quando vê a família de Jess precisando de uma carona para a Escócia, ele pensa em fazer uma boa ação para retribuir um favor e fugir de sua própria realidade. No começo pensa em desistir, mas ele não tem muito mais o que fazer no momento. A convivência com pessoas tão diferentes, de um nível sócio-econômico tão mais baixo que o dele vai mostrar para Ed um mundo totalmente novo.

Nolan é o cachorro da família que apesar de ser companheiro não facilita muito a viagem de carro.

Durante a narrativa, temos todos esses personagens convivendo por alguns dias enquanto viajam de carro para a Escócia. Com momentos engraçados, tensos e doces, a leitura flui mais fácil do que a trajetória que eles precisam percorrer para chegar a tempo à Olimpíada de Matemática de Tanzie, para se conhecerem melhor e para perceber o quanto precisam um do outro.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo