10.10.15

A Primavera Rebelde, de Morgan Rhodes

A Primavera Rebelde, escrito por Morgan Rhodes

"A Primavera Rebelde" é o segundo livro da série "A Queda dos Reinos". Por ser uma continuação, essa resenha pode conter spoilers do primeiro volume. Caso você queira ler a resenha do primeiro livro, clique aqui.  

Editora: Seguinte
Páginas: 472
ISBN: 978-85-65765-27-5
Livro cedido em parceria da editora com o blog.
Depois que o rei Gaius de Limeros conquistou as terras prósperas de Auranos e subjugou o povo sofrido de Paelsia, passou a dominar toda a Mítica com seu punho de ferro. A rica população de Auranos parece não se importar com o novo governante, desde que seus privilégios sejam mantidos; os paelsianos, como sempre, aceitam seu destino de exploração. Mas a tranquilidade é só aparente: grupos rebeldes começam a surgir nos reinos dominados, questionando as mentiras e os métodos sangrentos do novo rei. Enquanto isso, Gaius obedece à sua mais nova conselheira e dá início à construção de uma estrada passando pelas temidas Montanhas Proibidas. Mas essa via não servirá apenas para interligar os três reinos: ela faz parte de uma busca pela magia elementar, perdida há mil anos, que conferirá ao tirano um poder supremo. O que ninguém esperava era que essa obra desencadearia uma série de eventos catastróficos, que mudarão aquelas terras para sempre e forçarão Cleo, Magnus, Lucia e Jonas a tomar decisões até então inimagináveis.

A história começa um pouco tempo depois dos acontecimentos finais do primeiro livro. Rei Gaius conquistou Auranos e quer mais do que nunca achar a Tétrade, passando por cima de qualquer um que tente impedi-lo. Para conseguir achá-la, ele inicia a construção de uma estrada que ligará os três reinos de Mítica. Cleo, que se encontra como refém do rei, é surpreendida pelo anúncio de seu casamento com Magnus. Esse inesperado anúncio é apenas uma distração para acalmar os ânimos do povo e demonstrar uma falsa aliança entre o povo auraniano e Limeros. Magnus continua na luta interna sobre o que o pai espera que ele seja e o que ele quer ser. E, claro, vive preocupado com sua irmã, Lucia, que está em um sono profundo, sonhando com os vigilantes. Magnus jura à Lucia que eles acharão a Tétrade juntos. Enquanto isso, Jonas começa a recrutar rebeldes por toda a Mítica para derrubar o rei Sanguinário e vê em Cleo sua chance de conseguir alcançar esse objetivo. 
"Os limerianos já estavam sob o domínio do rei. Os paelsianos eram muito pobres e oprimidos para serem considerados uma ameaça à coroa, principalmente agora que estavam sendo agrupados para construir a estrada. Mas os auranianos  que começavam a sair de seu repouso coletivo e hedonista  ainda eram uma surpresa."
Então, a partir daí, acompanhamos a trajetória dos personagens principais em busca daquilo que cada um acha ser o melhor. Nessa trajetória, vemos muitas mortes, muita tensão, muita magia, muita ação, muitas intrigas; vemos os personagens amadurecerem e acabamos nos apegando cada vez mais à história. Um dos pontos mais interessantes de todo o livro é nunca sabermos o que está para acontecer, nada é previsível nessa série. Não adianta fazer suposições pois Morgan Rhodes sempre surpreenderá o leitor com o rumo que a história seguirá. 

Os capítulos são narrados do ponto de vista dos personagens principais da trama, que são muitos. Há quem diga que esse modelo de narrativa tenha deixado a história confusa, com excesso de informação. Porém, creio que esse modelo fez exatamente o oposto: enriqueceu a história e não a deixou ficar chata. Ter a história narrada por vários pontos de vista fez com que o livro ficasse muito mais dinâmico e interessante

Infelizmente, é quase impossível dar muitos detalhes sobre a história, pois a leitura perderia a graça e estragaria a parte mais legal de tudo: ser surpreendido pelas reviravoltas

Resumindo, assim como no primeiro livro da série, Morgan Rhodes te conquista. A escrita dela é muito boa, o que faz a leitura ser rápida e também ser impossível largar o livro até o seu final. A história é cheia de ação, reviravoltas, derramamento de sangue e tensão política. Além disso, os personagens amadurem e a história ganha uma direção muito interessante. Eu criei expectativas altíssimas por essa continuação, mas não me decepcionei. A série fica melhor a cada livro. A autora consegue se superar e faz você ficar cada vez mais conectado aos personagens e à história. Leitura recomendadíssima para aqueles que procuram uma série literária viciante e apaixonante

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo