10.6.15

A Cidade Murada, de Ryan Graudin

A Cidade Murada, escrito por Ryan Graudin

Editora: Seguinte
Páginas: 396
ISBN: 978-85-65765-63-3
Livro cedido pela editora em parceria com o blog.
A Cidade Murada é um terreno com ruas estreitas e sujas, onde vivem traficantes, assassinos e prostitutas. É também onde mora Dai, um garoto com um passado que o assombra. Para alcançar sua liberdade, ele terá de se envolver com a principal gangue e formar uma dupla com alguém que consiga fazer entregas de drogas muito rápido. Alguém como Jin, uma garota ágil e esperta que finge ser um menino para permanecer em segurança e procurar sua irmã. Mei Yee está mais perto do que ela imagina: presa num bordel, sonhando em fugir… até que Dai cruza seu caminho. Inspirado num lugar que existiu, este romance cheio de adrenalina acompanha três jovens unidos pelo destino numa tentativa desesperada de escapar desse labirinto.

Apesar de todo o cenário distópico apresentado na sinopse, a trama é baseada em uma cidade murada que realmente existiu e os dramas e conflitos existentes na história foram baseados em fatos reais dos antigos residentes. Antigamente, a cidade tinha um objetivo militar, mas acabou se tornando um refúgio para a comunidade mais pobre e "favela" é a descrição mais próxima do ambiente da Cidade Murada. É repleta de bordéis, ladrões de rua, prédios muito altos e sujos, traficantes de droga e chefes de crime organizado. Só de saber dessas informações, que nos é apresentada logo no início, a história passa a ficar ainda mais interessante, intrigante e emotiva.

Narrada em três perspectivas diferentes, conhecemos a Jin Ling, uma garota que se passa por menino para conseguir sobreviver nesse ambiente cruel, pois o destino de moças sem família nessa cidade já tem endereço marcado: bordéis. E é justamente num deles que Mei Yee, sua irmã, se encontra. A vida delas foi separada pelo próprio pai que vendeu Mei Yee quando era criança.

Na incansável busca pela irmã, Jin conhece Dai, um jovem determinado a cumprir uma missão que poderá salvar sua pele de erros cometidos no passado. Dai vem de uma família rica e não pode revelar sua identidade para qualquer pessoa. Jin e Dai estão na Cidade de passagem, ambos têm o mesmo objetivo: abandonar este território controlado e monitorado por criminosos poderosos. Conforme um ajuda o outro, Dai percebe que Jin é uma aliada com potencial para ajudá-lo a cumprir sua missão e, pensando da mesma forma, Jin aceita o desafio e os dois começam a trabalhar juntos.

Mei Yee por sua vez é a prostituta mais desejada no bordel do maior criminoso da cidade. Mantida presa em quartos e atendendo um único cliente, a personagem demonstra muito medo, pois conhece as tiranias do dono do bordel. Personagem que mostra sua crueldade ao punir de forma traumática, e na frente de todas as meninas, uma garota que tentou fugir e lutar por sua liberdade. Mei Yee é uma personagem que, apesar do medo, mostra sua força nos ensinando que com uma dose de esperança é possível enfrentar nossos medos.

Esses três personagens que narram A Cidade Murada se conectam e, embora cada um tenha uma meta em mente, o objetivo final é o mesmo. A história se torna ainda mais instigante quando num determinado momento da trama, Mei Yee conhece um garoto misterioso através de uma única janela dentro de um dos quartos do bordel e seu desejo de liberdade é deflagrado com muita intensidade.

Os sentimentos ruins já são presentes na vida desses três, mas todos os acontecimentos ruins que ocorrem para atrasá-los do objetivo de certa forma acabam unindo-os e despertando uma amizade e compaixão entre eles e outros personagens secundários envolvidos. A autora conseguiu mostrar que, apesar de tanto desastre e crueldade, é possível enxergar e viver ou sonhar com momentos agradáveis. E são nesses momentos que os personagens se apegam para continuar sobrevivendo.

A autora foi genial em misturar elementos reais do passado com o universo distópico tão amado por leitores adolescentes. A construção dos personagens foi feita com capricho e conseguiu passar o drama individual de cada um sem deixar a leitura cansativa, muito pelo contrário. O crescimento e desenvolvimento dos personagens é outro ponto positivo, pois a cada capítulo terminado o leitor acaba torcendo para que nos próximos capítulos tudo ocorra da forma planejada para o bem dos três.

Os temas são tratados com uma carga pesada e negativa, mas ao mesmo tempo são abordados de forma rápida por crianças e adolescentes que também carregam esta carga, porém a esperança presente em cada um desses personagens é o que mantém a narrativa viva e envolvente.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo