19.4.15

Vamos falar de Young Adults?

Como já escrevi por aqui anteriormente, apresentando alguns exemplos de ficção científica, animações e distopias adaptadas para o cinema, hoje é o dia para conversar sobre um gênero nem tão antigo mas recentemente amado pelos leitores adolescentes e odiado pelos mais críticos: young adults. Não sei dizer pra vocês qual é a fórmula secreta desse sucesso, mas tenho alguns palpites.. 

A maioria dos livros retrata um pouquinho da realidade dos adolescentes ou de um sonho que possuem. A garota apaixonada por um cara incrível e inatingível, ou a garota apaixonada por um cara totalmente diferente dela ou um namoro escondido dos amigos e família. Dentre essas (e outras) chaves da trama, outras situações são descritas e o leitor jovem, mesmo que não se identifique com a personagem principal, acaba se visualizando dentro desses outros cenários. É o que acontece em Meant To Be, uma garota tímida e longe de ser popular viaja para outro país com a escola e acaba tendo que fazer os trabalhos escolares com um cara que sempre achou metido e super popular. Eu resumi o livro em menos de 2 linhas sem contar nenhum spoiler mas tenho certeza que todos vocês já podem imaginar o decorrer dessa história e o final dela, certo? Pois é. Esse é o principal motivo do porquê de os young adults serem "pegos" pela crítica: boa parte deles são bem previsíveis. E é ok nós lermos alguma coisa leve e romântica de vez em quando, mas não sempre, não é? 

Em Todo Dia, escrito por um dos meus autores favoritos de YA, David Levithan, temos uma história incrível com um final previsível mas que mesmo assim irá te surpreender e fazê-lo repensar sobre os clichês deste gênero. Quer começar a ler YA e não sabe por onde começar? Todo Dia é a opção perfeita! 

Já em Mentirosos nós temos uma história com um final nem tão clichê assim e que faz o papel perfeito do que eu mais amo em um livro: o mistério. É mistério e curiosidade a cada página. Instiga o leitor a palpitar sobre o motivo da personagem principal perder a memória em um acidente trágico com seus primos na "ilha" de férias de sua família rica e sofisticada. E o que eu disse no início sobre não nos identificarmos com a personagem principal e sim com algumas passagens no decorrer da história, acontece bastante

Mencionei três opções com escritas completamente diferentes em que mostro pra vocês como os principais enredos dos livros adolescentes são abordados na literatura YA. Com tando destaque entre os mais vendidos, esses livros chamaram a atenção dos cineastas e poder ver nas telonas o que esses adolescentes mais se identificam era tudo que eles queriam! O público jovem é o novo público alvo das bilheterias. Vai dizer que você, mesmo contra a vontade, já não foi ao cinema assistir a esse tipo de filme? O próprio John Green entende que essas histórias são previsíveis e mostram os personagens aprendendo sobre as questões importantes da vida, e sem saber, o diferencial de sua história ganhou o coração de milhões. 
"Reconheço que este é meu livro mais bem-escrito, mas o imaginei lido por amigos, pela comunidade de escritores e críticos literários. Jamais imaginei que iria virar esta loucura. Meu trunfo foi apostar em uma história divertida, não-lacrimosa, sobre jovens apaixonados, porém doentes. Fugi do esquema da pessoa saudável aprendendo lições de vida da enferma que, por sua vez, morre no fim. Acho que isso me ajudou." John Green sobre o sucesso de A Culpa é das Estrelas. 
Já que mencionei John Green, não poderia deixar de escrever sobre alguns livros que serão adaptados para o cinema em breve. Pra começar, Cidades de Papel, já ganhou o primeiro trailer e a divulgação só está começando, prometendo muitas novidades e surpresas ainda por vir. A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista, um livro rápido e xodó de muita gente (e meu também) será roteirizado por Dustin Lance Black, vencedor de Oscar, está em um processo lento mas estamos aguardando novas informações sobre a adaptação. Por Lugares Incríveis, lançado no Brasil muito recentemente, promete uma história diferente e densa que também ganhará uma adaptação estrelada pela atriz Elle Fanning. 

Apesar de Cidades de Papel não ter me agradado como livro (opinião bem pessoal mesmo), estou ansiosa para assistir no cinema todos esses que citei. 

E vocês? Quais os livros YA que vocês indicam? Por que vocês acham que o gênero faz tanto sucesso?

1 comentários:

  1. Isadora, quero ler muitos dos livros que você mencionou: Cidades de Papel, Por Lugares Incríveis, A Probabilidade Estatística...
    Eu gosto do gênero YA, desde que o livro seja bem escrito e contenha boas ideias e personagens (o que, aliás, eu exijo em qualquer livro). Para mim o grande problema do gênero é que os escritores confundem livros para adolescentes com livros bobos. A abordagem pode ser mais leve, mas os temas podem sim ser profundos, até porque a adolescência é uma época internamente tumultuada, questionadora.
    Sabia que sofro preconceito por ler YA? Muitas pessoas que seguem meu blog e acompanham meu canal comentam que ficaram decepcionadas quando descobriram que eu lia YA. Enfim... =/
    Beijo!

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo