25.12.14

A primeira aparição literária do Papai Noel

[Fonte]
Não sou e nunca fui uma pessoa festiva. Gosto de comemorar, porém é difícil, por exemplo, eu manter uma disciplina satisfatória para realizar leituras temáticas, como as natalinas. E especialmente neste natal, um vídeo que a Verônica fez me apresentou a origem na literatura da figura do bom velhinho de vermelho. Devo dizer que esta descoberta me fez repensar esta minha "inércia literária".

Trata-se de um poema escrito por Clement Moore em 1822, chamado "The Night Before Christmas". Nele, pela primeira vez o Papai Noel é retratado com trenó, renas, chaminé, meias na lareira e saco de brinquedos. O poema também é conhecido por "Uma visita de São Nicolau", e deixo aqui a tradução. Simplesmente fofo e curioso.

Era véspera de Natal, e a casa dormia
Nem mesmo um camundongo por ela se movia
As meias, na chaminé, esperavam, de leve
Que São Nicolau chegasse em breve

As crianças dormiam entre quentes cobertas
Sonhando com os doces que viriam na certa
E eu e a mamãe, de lenço e boné
Ressonávamos tranqüilos, noite afora até

Que um estrondo lá fora chamasse a atenção.
Levantei-me para ver qual era a confusão.
Como um relâmpago corri para a janela
Abri as persianas, a cortina que velai

E a Lua que reluzia sobre a neve recente
Iluminava a cena como um sol nascente
E diante dos meus olhos surgiram, repentinos,
Oito renas minúsculas e um trenó pequenino

Com um velho à rédea, feliz e com pique
Logo tive a certeza de que era São Nick
Rápido como uma águia, o trenó voava
E ele, entre assobios, cada rena chamava

“Vamos Dasher, vamos Dancer, vamos Prancer e Vixen!
Vamos Comet, vamos Cupid, vamos Donner e Blitzen!
Por sobre a varanda e por sobre o telhado!
Voando, voando, por todos os lados!”

E como folhas secas ao vento do furacão
Que não respeitam barreira à sua ascensão
As renas voavam casa acima, pelo céu
Puxando o trenó, brinquedos e Noel

E depois eu ouvi, por sobre o telhado
Os cascos se movendo em tom ritmado
E quando fechei a janela e me virei para olhar
Da chaminé percebi São Nicolau saltar

Vestido de peles, dos pés à cabeça
Coberto de pó e de fuligem espessa
Ele trazia às costas brinquedos variados
Como um vendedor chegando ao mercado

Seus olhos brilhavam, e seu rosto sorria
Na face rosada o nariz reluzia
Sua boca se abriu em um sorriso breve
E a barba em seu queixo era branca como a neve

O homem trazia um cachimbo entre os dentes
E a fumaça cercava seu rosto sorridente
Seu rosto pequeno e barriga arredondada
Se moviam como gelatina quando ele dava risada!

Tão gorducho e redondo, o alegre pequenino
Que sorri sem nem notar, ao vê-lo, ladino,
Me fazer um sinal, uma leve piscada,
Indicando situação nada arriscada

E sem uma palavra ele fez seu trabalho,
Enchendo as meias, e girando no assoalho
Ergueu um dedo em sinal de despedida
E pela chaminé procurou a saída

Saltou ao trenó, com um forte assobio,
E saíram aos ares com um rodopio
Mas o ouvi exclamar, no momento final
“Meu boa noite a todos, e um feliz natal”
Além de ser importante por trazer alguns aspectos tradicionais da figura natalina, o texto passou a inspirar as ilustrações do Papai Noel que surgiram a partir dessa data. Você pode conhecer o texto original aqui.

Espero que o natal de todos tenha sido recheado de boas comidas, muita saúde e companhias amáveis! E, claro, de muitos presentes, inclusive livros ;)

5 comentários:

  1. Que interessante isso! Gostei, particularmente, do nome das renas rS'. Legal saber de onde partiu essa figura do "bom velhinho" na literatura e que se mantêm tão firme a quase 200 anos!! Com exceção da figura no filme A Origem dos Guardiões, o Norte, que mostrou um velhinho mais hardcore. Adorei o poema e a curiosidade Mell e admiro seu trabalho!! ^^

    http://entretenilendo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ah, que coisa linda Mel :)
    Nunca soube dessa origem do papai noel, mesmo depois de crescido essa magia dele é tão presente. Sempre me emociono quando vejo aquelas "carreatas" de natal passando pela rua :')
    Aliás, sempre achei que a Coca Cola tinha alguma coisa a ver com o bom velhinho ser vermelho e tals :P ADOREI!

    Um beijo, Di :)

    ResponderExcluir
  3. rayanna lucylle svt29 de dezembro de 2014 22:18

    Aaahh, que poema fofo! Parece ser o Papai Noel bem idealizado que a maioria das crianças acreditam, eu gostei bastante ♥
    Assim como tu, não sou nada festiva, mas gosto de comemorar. Gosto do natal porque é uma noite onde posso ficar na minha, uma das poucas que são realmente frias (gente que odeia calor e nasce no Nordeste é tenso) e por outro motivo (muito bobo aliás): deixe a neve cair. É um livro bem bonitinho, escrito por 3 autores contemporâneos. Comprei só porque John Green tava no meio e eu tava numa febre desse autor, afinal, todo mundo AMAVA e eu não achava isso tudo :/ Mas okay.. De qualquer forma, li, amei os contos e até hoje eu leio ele pelo menos uma vez no ano ♥
    Espero que seu 2015 seja ótimo Mel! Que muitas coisas boas aconteçam na tua vida e que venham muitos livros legais! :D Beijos

    www.artigo2.com.br

    ResponderExcluir
  4. Bom, eu já curti mais o natal, quando eu era criança e tal e adorava montar árvore com a minha irmã...tinhas umas bolinhas de vidro que sempre quebravam então a árvore sempre tinha enfeites novos kkkkkk
    é bom saber a origem das coisas, ainda mais para as pessoas curiosas como eu kkkkkk, mas quando a gente cresce a gente se pergunta o que esse ser todo encasacado tem a ver com o calor de 40 graus que faz aqui no país (pelo menos eu, no Rio a sensação térmica deve estar passando dos 50ºC KKKKK)
    mas essa época é boa para refletir o verdadeiro sentido do natal que é pensar e estar sempre com a família e amigos e aqueles que a gente ama ♥
    Um Feliz 2015 para ti!
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Que lindo! Vale a dica, né? :) Eu não sou das mais ligadas em Natal, mas não sei se vc já leu Cartas do Papai Noel, do Tolkien. É um livrinho que reune as cartinhas que o Tolkien escrevia para os filhos fingindo ser o Noel. :D


    Bjs

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo