14.9.14

Resenha: Finn's Hotel

Finn's Hotel, escrito por James Joyce.
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 160
ISBN: 9788535924558
Livro cedido pela editora em parceria com o blog.
No início dos anos 1990, o surgimento de um manuscrito causou alvoroço entre os estudiosos de James Joyce. Encontrado em meio a seus papéis e anotações, Finn’s Hotel foi anunciado como embrião daquele que seria o mais enigmático dos livros do irlandês, o gargantuesco e caudaloso Finnegans Wake. Todavia, uma longa briga judicial privou os leitores do acesso ao texto. Apenas agora, mais de duas décadas depois de sua aparição, é que Finn’s Hotel chega às mãos dos fãs de Joyce. É composto de onze pequenos contos, que poderiam ser chamados de fábulas, sobre a história da Irlanda. Divertidos e comoventes, os textos chegam ao português pelas mãos de Caetano W. Galindo, cuja tradução do livro Ulysses recebeu os prêmios Jabuti, APCA e ABL. Joyceano de mão cheia, Galindo recriou aqui as dezenas de trocadilhos e jogos de linguagem do original. 

Sobre o que se trata

Não se sabe ao certo qual era a intenção de James Joyce ao escrever "Finn's Hotel", mas muito se especula sobre a sua importância para "Finnegans Wake", o livro mais enigmático do autor. Provavelmente ele é fruto de um dos estágios de escrita de Joyce, que, antes de finalizar um livro, escrevia e reescrevia, eliminando um grande volume de material concluído para então criar ainda mais por cima daquilo já feito. Assim são os livros dele: bem lapidados por natureza. Os manuscritos foram descobertos no início dos anos 1990 e, depois de uma longa briga judicial - de duas décadas - é que os leitores de Joyce o puderam ler. De novo, a publicação do autor se mostrava complicada.

Este pequeno livro é composto por 11 contos, que podem muito bem ser vistos como fábulas. Alguns têm apenas uma página, e todos se ligam intrinsecamente à formação da Irlanda e ao imaginário popular do país.

Escrito entre "Ulysses" e "Finnegans Wake", seu conteúdo já traz muito de "Finnegans", como o personagem Humphrey Chimpden Earwicker e traços iniciais da carta de Anna Livia Plurabelle. Ainda, fica intensamente explícito o que é marcante na escrita do autor: muitos neologismos, processos de composição de palavras (com justaposições e aglutinações) e em "O grande beijo" percebe-se que o mito de "Tristão e Isolda" foi reescrito e adquiriu uma nova significação, isso diante de uma linguagem exagerada e cômica.

Minhas impressões

Como primeiro livro do Joyce que li, confesso que tive certa dificuldade para entender o conteúdo das fábulas, sobretudo pelo estranhamento que a escrita do autor me causou. Creio que mesmo acostumado com os textos de Joyce, o leitor continuará tendo alguma complicação ao tentar entender suas peculiaridades, o que de certa forma é a explicação para tantos abandonos em relação à "Finnegans".

Mesmo que eu ainda não tenha lido "Ulysses" nem "Finnegans Wake", indico para quem quer começar a ler o autor "Dublinenses", que é um livro com 15 contos. "Finn's Hotel" é um mimo para os fãs de Joyce, e creio que deve ser lido entre a leitura de "Ulysses" e a de "Finnegans". Ou seja, não indico o livro para quem nunca leu algo do autor, como eu. "Dublinenses" (que deve ser a próxima resenha aqui do blog - e que já foi resenhado junto de "Finn's" lá no canal do blog no Youtube) sempre será a porta de entrada mais tranquila para o mundo extravagante de Joyce.

A edição (publicada pela Companhia das Letras) possui vários textos introdutórios e um anexo de "Giacomo Joyce", uma nova tradução do poema pelo mesmo tradutor de "Finn's Hotel". Fico imaginando que, se eu achei difícil a leitura, os tradutores devem ser louvados pelo trabalho que é traduzir os textos do autor. Não preciso sequer questionar um pouco essa ideia para concluir que sim, esse é um trabalho árduo e controverso. Porém, Caetano W. Galindo demonstra ser um grande estudioso de Joyce, e alguém capacitado para o trabalho. Comentando ainda sobre a edição, a dedicação que a editora deu ao livro é muito bacana, confira:








4 comentários:

  1. Adorei a capa, o conteúdo parece ótimo. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Mell
    Tudo bem?
    Adorei conhecer o livro, parece ser super legal. As fotos ficaram ótimas, bem ansiosa pela leitura!!
    Beijos*-*
    Território das Garotas

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Mileny :) O conteúdo é bem bacana, mesmo, é o universo do autor. Acho que quem já gosta dele irá adorar :)

    ResponderExcluir
  4. Olá :) Tudo tranquilo e contigo?
    É um livro para os fãs do autor. É adorável, porém, como eu nunca tinha lido nada dele, tive certas complicações com a escrita peculiar rs
    Biejos

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo