22.8.14

Literalmente falando #07 - Sobre mudança de perspectiva e gostar de adquirir livros


Há alguns meses escrevi um post falando sobre ter mais livros do que podia ler e do quanto aquilo estava me incomodando. Pelos comentários recebidos, pude perceber que não sou a única a passar pela situação e que, aparentemente, o acúmulo de livros é um fato recorrente na vida dos apaixonados por livros.

Também me dei conta de que alguns dos livros na minha pilha de não lidos já não me despertam o mesmo interesse de quando os adquiri. Não são muitos e, em sua maioria, são livros que comprei por impulso, sem parar para pensar se realmente iria apreciar a leitura. Obviamente, me senti mal por isso, afinal de contas, investi dinheiro naqueles livros, certo? E agora, não tenho a mínima vontade de lê-los. Por outro lado, muitos dos livros esquecidos continuam a me atrair e me pergunto constantemente o motivo de não os ter lido ainda.

Meio desesperada e sufocada pelos livros não lidos da estante, em março resolvi me impor um book buying ban - uma proibição de comprar livros (ou um certo número de livros) - até o mês de agosto, quando deveria repensar a ideia e ver se tinha funcionado. Até junho as coisas funcionaram muito bem, mas é claro que depois disso tudo ficou um tanto "complicado", principalmente com o número absurdo de promoções que começaram a rolar desde julho. Logo, percebi que essa história de proibição não funciona para mim. Ainda assim, não foi uma experiência inútil; pude aprender bastante e modificar alguns dos meus hábitos como compradora de livros

Com o book buying ban - que não foi total, pois me permitia a compra de apenas um livro por mês - aprendi a ser um pouco mais criteriosa com o que iria adquirir, priorizando os clássicos ou livros de autores que já conhecia e sabia que não iria me decepcionar com a leitura. Passei a comprar livros que sabia que iria ler em algum momento da minha vida e que, mesmo que não gostasse de algum aspecto neles, a experiência continuaria a ser válida e enriquecedora. Dessa forma, priorizando a qualidade ao invés da quantidade, ficou claro que mesmo que um livro fique um ano parado na estante, ele ainda vai continuar me despertando o interesse.

Acredito muito que há um momento certo para cada leitura e que se um livro for lido na hora errada, a experiência pode ser arruinada. Logo, não vejo mal em comprar um livro que me interessa e que esteja com um preço bom mesmo que não vá lê-lo imediatamente. Gosto de saber que, na hora certa, ele já estará me esperando. A Tary, do canal Literatour, fez um vídeo muito interessante sobre o assunto e em determinado momento diz algo que acho muito bonito: os livros não lidos na estante são promessas. Ou seja, ao adquirir um novo exemplar sem a pretensão de iniciar a leitura imediatamente, estamos fazendo uma promessa de que algum dia o faremos.

Com essa mudança de perspectiva, parei de me desesperar com a pilha de não lidos, pois sei que vamos nos encontrar em algum momento. E quanto aos livros comprados por impulso, ainda não sei o que fazer. Provavelmente, trocarei em algum sebo ou doarei para alguma biblioteca. Assim, deixo espaço para as novas e desejadas aquisições.

Não sei se as minhas reflexões fizeram algum sentido para vocês, mas espero que seja de utilidade para aqueles que, de vez em quando, se assustam com a quantidade de livros parados na estante. Espero que ajude também aqueles que estão com medo de como irão reagir na Bienal. Penso que, desde que você não esteja se prejudicando financeiramente, não há problema em querer colecionar seus livros. Então, que tal encarar a situação dos livros não lidos na estante por uma perspectiva diferente e, quem sabe, até mais consciente e responsável? 

7 comentários:

  1. Eu estou vivendo uma situação parecida com a sua. Estou com muitos livros na fila de espera e outros tantos nos carrinhos das lojas virtuais da vida (agora que a Amazon chegou com livros físicos, o negócio ficou difícil). O que piora mais ainda são os lançamentos e promoções que são constantes. Mas resolvi que em respeito aos livros que comprei, tão ansiosa para ler como os que estou querendo comprar hoje, vou acabar pelo menos a metade da pilha que me aguarda para assim, mais ou menos em novembro, quando a Black Friday chega, economizar comprando os que realmente quero :) Beijos e queria convidá-la para conhecer o Livros, café e prosa, meu blog ! Aguardo sua visita lá (www.livroscafeeprosa.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
  2. Posso falar que te amo? Eu sempre achei que era estranha porque sabe aqueles livros 'famosos' que você morre de vontade de ler, e tem resenha pra tudo quanto é canto, mas você não quer ler ele naquela hora, e pra quem tem blog de resenha fica pensando, se o livro e famoso HOJE e eu vou lê - lo daqui a 1 ano mais ou menos, os meus leitores vão me achar estranha ou atrasada? Sim é um pensamento fútil, mas fazer oque.

    Da uma passadinha no meu blog? Se gostar siga, obrigado de qualquer forma

    http://livroseplaylists.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Eu já tentei fazer isto também, mas não é nada fácil. E eu agora estou trabalhando em uma livraria... Agora é que não vai dar certo mesmo! Eu tenho muitos livros que ainda não li, mas as vezes você vê um livro que custa R$40,00, custando menos que a metade do preço... não tem como resistir xD

    http://refugiorustico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Esse post veio de encontro com um pensamento que tenho tido ultimamente. Comecei a investir no meu blog no começo desse ano e uma das minhas primeiras postagens foi como eu achava que livros e suas histórias deveriam ser lidos, não possuídos. Sou uma das incentivadoras de biblioteca. Contudo, na medida que o blog foi criando corpo, percebi que havia a necessidade de comprar os livros, para fazer marcações e melhorar as resenhas. Acabei extrapolando nesse primeiro fim-de-semana de Bienal, sendo que nem sei se terei espaço para guardá-los. Vou tentar fazer um segundo esforço de não comprar livros até que acabe de ler todos esses. Espero que eu consiga e você também!



    Beijos


    http://www.abortoliterario.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Michas. Eu não tenho tantos livros parados, porque não tenho tantos livros rsrs, mas para mim já são muitos porque eu tenho demorado na leitura, estou tentando melhorar isso. Quanto a comprar por impulso, já fiz isso uma vez, me arrependi, mas era um livro extremamente barato. Eu costumo pensar muito bem antes de adquirir um livro, compro aqueles que quero muito, e geralmente indicado por blogueiros :) não vejo problema em ter livros não lidos, apesar de ficar com dó, eu gosto olhar na estante e ter opções de escolha para a próxima leitura. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Michas, sou assim também. Compro muita coisa e depois fico olhando pra estante me perguntando porque fiz aquilo. Mas já consegui 'internalizar' que sempre vão existir livros que eu quero ler em determinado momento e depois essa vontade vai passar. Nesses casos, tento trocar no Skoob ou Livra Livro ou dou mesmo (não tenho apego nenhum com esses). Acho que o importante é repassar, com certeza tem gente que vai aproveitar melhor.
    Beijos!


    Camila
    www.lendoporai.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Acho que todos os apaixonados por livros são assim mesmo rsrs...quanto mais vemos mais queremos rsrsrs...bjus

    http://www.magisbook.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo