13.7.14

Resenha: O maravilhoso agora

O maravilhoso agora, escrito por Tim Tharp.

Editora: Record
Páginas: 317
ISBN: 9788501403902
Livro cedido pela editora em parceria com o blog.

Sutter Kelly é O Cara, o rei das festas. Porém, diferente dos amigos adolescentes, não está preocupado com o futuro, está mais interessado em viver o agora. Com um 7Up batizado nas mãos ele está pronto para qualquer coisa. Mas nem tudo anda bem para ele. Vive discutindo com a mãe, o pai há anos não dá notícias, e sua namorada Cassidy lhe deu um pé na bunda. Em meio a esse caos, a doce Aimee pode despertar Sutter para outra realidade. E, pela primeira vez, ele tem o poder de fazer a diferença na vida de alguém, ou de arruiná-la para sempre. O livro que deu origem ao filme

 

Sobre o que se trata?

Sutter Keely é um adolescente de dezoito anos que está terminando o ensino médio à base de 7Up batizado de whisky. Ele simplesmente quer viver o "maravilhoso agora" sem ter que se preocupar com o futuro. E, através desse comportamento, Sutter dizia amar a vida que levava... Tinha uma namorada linda, um carro abastecido de bebida, um melhor amigo para todas as horas e um emprego razoável (achava, ainda, que seu patrão era um cara muito bacana). Porém, ele começa a perder o controle de sua vida quando arruma uma namorada para seu melhor amigo, sua namorada desiste do namoro e começa a namorar um garoto da escola que leva a vida a sério e... Quando ele conhece Aimee.

Desmaiado num jardim qualquer de algum ponto "xis" da cidade, Sutter é acordado por Aimee, uma garota nerd de sua escola. Ela estava na sua rota de entrega do jornal quando o viu na grama e pensou que estivesse morto. A partir de então, ele se vê ligado à garota através de promessas espontâneas, como a de almoçar com ela, a de levá-la ao baile de formatura, a de namorá-la... Mas é claro que para si e para seu amigo, ele sempre dizia que era por pena de Aimee, e para dar uma experiência agradável para ela, algo que fugisse da mesmice de sua vida anônima.

Mas o seu comportamento é a chave de todos os problemas. Ele não entende o porquê das pessoas exigirem sempre uma atitude comprometida dele, sendo que tudo o que ele menos queria era pensar no futuro. Não queria pensar no fato dele estar quase de recuperação final em matemática (e, portanto, não se formando), no que viria a fazer depois de formado, na possibilidade de parar de beber e de curtir a vida intensamente... Até Aimee o fazer perceber que a sua angústia em relação ao pai ausente era tudo o que ele precisava resolver no momento. A descoberta do paradeiro do seu pai e do caráter dele desmascara os problemas de Sutter e tem uma grande repercussão na vida do garoto.

Minhas impressões

Eu tive impressões diferentes sobre o livro ao longo da leitura. Nas primeiras 80 páginas, até a Aimee aparecer praticamente, eu simplesmente estava achando o enredo parado e desinteressante. Depois que a mocinha da história apareceu (e demorou, vamos falar a verdade), tudo ficou melhor: o enredo, os personagens, a minha empolgação com o livro. Porém, toda essa positividade foi se perdendo até chegar o final. Um final, infelizmente, decepcionante.

Possivelmente, o grande motivo de eu não ter gostado especialmente do começo foi o próprio personagem principal, que narra a história em primeira pessoa. Basicamente, só aparece ele no começo da história. Os seus dramas, o seu cotidiano, o relacionamento que levava com alguns personagens secundários. E dizer que eu não me dei bem com a personalidade dele é ser otimista demais. Sutter é o típico babaca da sua escola, sabe? E ele não muda em momento algum do livro. Tenho que dar um ponto positivo para o autor, pois ele soube construir muito bem os seus personagens principais. Como gostar do Sutter? Até na capa há uma notinha do Publishers Weekly que diz "Os leitores ficarão encantados e furiosos com Sutter..." E como não gostar de Aimee? Ela é doce e interessante, por isso gostei tanto da parte em que ela apareceu. Mas também foi por ela ser tão influenciável que fui perdendo minha animação com o livro. O namoro dos dois simplesmente a transforma. Talvez seja uma transformação boa em certos aspectos, mas ela fazia tudo o que Sutter queria. Tudo mesmo. Eu até cheguei a pensar que seria uma história parecida com "Um amor para recordar", onde a mocinha transforma o mocinho "fora da linha". Mas não chega nem perto disso, pelo contrário.

Já o final... O que dizer desse final? Assisti ao filme que se baseou nesse livro e até a adaptação mudou o final. É completamente diferente do que experienciei com o livro. Não sei se todos que leram vão pensar a mesma coisa que eu, mas não me sai da cabeça que o final simplesmente anula tudo o que o autor provavelmente quis transmitir com essa história. E como entender um trabalho desses? Só mesmo sentando com o autor e tendo uma conversa muito séria.

12 comentários:

  1. Abrahão Vendramini13 de julho de 2014 18:55

    Acho bem triste ler um livro e não gostar do fim. Meus pêsames :(

    ResponderExcluir
  2. eu gostei do final ... não achei clichê e pá....

    ResponderExcluir
  3. Oi, Mell. Sua resenha me deixou bem curiosa para saber como é esse final, mas com medo também hehe. Eu gostei do filme e acho melhor não estragar a impressão que tive da história. É bem chato quando um autor prega uma peça no leitor e estraga o fim do livro, não é? Boa sorte com as próximas leituras.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Ele é meio Alasca Young, né! hahahaha Detesto esses personagens, mas o livro tem uma história muuito interessante porque tem essa relação do cara com uma pessoa que ele ama. Vi o vídeo também, curti bastante! Ainda mais porque tem nerd no meio do livro. Adoro isso!
    Beijos, Nina.

    http://literatamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. MAS OLHA SÓ mudou tudo aqui!!! Ficou muito charmoso seu blog, Mell. Mais clean e com a sua carinha. Parabéns! :DDDD

    Sobre o livro, eu vi o filme apenas e achei um saco, pra ser sincera. Do começo ao fim ele é parado, os atores são péssimos, o garoto não convence, etc etc etc. E O FINAL É RIDÍCULO já no filme, achei muito improvável. Queria saber qual é o do livro (me conta?)

    BEEEEEEIJO ♥

    Raquel
    www.pipocamusical.com.br

    ResponderExcluir
  6. Pois é, super triste mesmo hahaha Ainda bem que isso raramente acontece comigo :)

    ResponderExcluir
  7. Sim, clichê não é. Mas não é porque não é clichê que seria bom. Precisa ver se faz jus. Por exemplo, ele falou que esperaria pra falar pra Aimee sobre não ir pra junto dela, para que assim ela realmente se mudasse, certo? Fazendo o que ele fez, antes dela se mudar, ele simplesmente fez surgir a possibilidade dela não se mudar. Percebe? Um dos motivos que me deixou decepcionada... Ele faz tudo antes, acaba que a mensagem do livro, qualquer que tenha sido, não foi transmitida direito, na minha visão.
    Mas enfim, que bom que gostou :D Como minha mae diz: o que seria do verde se todos gostassem do amarelo? rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Se você gosta do gênero, talvez goste do livro sim :)
    Mas eu gostei bem mais do filme, mesmo achando este chato e parado rs
    Sim, chato mesmo. Me decepciono muito :/
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Hahahaha Exaaaaato! :O Não tinha parado pra pensar nisso!
    E deve ser por isso que não gostei de Quem é você, Alasca? também rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Aeeeeeeeeeeee, primeirona a perceber <3 Que bom que gostou, Kel! <3
    Hahaha Exatamente, o filme é parado, mal interpretado.. Um saco rs
    Viiiiiish, se você soubesse o final do livro rs Vou te contar por face, tá?


    Beeeeijo

    ResponderExcluir
  11. Oi Mel, tudo bem?
    Apesar de você não ter gostado do final, ainda assim fiquei curiosa para ler o livro. Assisti a sua vídeo resenha e entendi que provavelmente a maioria das pessoas também não vai gostar muito do protagonista, mas como você elogiou, em algumas partes, a Aimee, gostaria de conhecê-la melhor e até mesmo a história do casal em si. :)
    PS: O layout novo está lindo! Já tinha visto a ilustração a partir da sua foto e só estava esperando as mudanças, parabéns! Lindo, lindo, lindo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Não vi o filme ainda, mas concordo com TUDO o que você escreveu sobre o livro.
    O final foi realmente decepcionante, para mim!

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo