20.6.14

Literalmente falando #04 - Sobre procrastinar leituras


Lembro de que quando estava na faculdade, uma das leituras mais recomendadas era a de Admirável mundo novo, de Aldous Huxley. Não me lembro dos diferentes contextos das recomendações, mas é fato que pelo menos três professores disseram que a leitura era importante, já que estamos falando de uma das distopias mais influentes do século XX. Assim, fiz uma nota mental para não me esquecer de comprar o livro e descobrir o porquê de a obra de Huxley ser tão importante. Fiz a compra há três anos, me formei há dois e...até agora não li nem a primeira linha do livro.

E acontece que a situação descrita acima não é a única em minha vida. Sinceramente, não tenho noção da quantidade de livros que adquiri por conta de recomendações e que permaneceram intocáveis na minha estante. As brumas de Avalon, As ilusões perdidas e  O Sol é para todos são só alguns dos títulos. Não preciso nem dizer que depois que comecei a escrever e a falar sobre as minhas leituras, o número de novas aquisições só aumentou, né? E o mais surpreendente em tudo isso é que meu interesse por essas histórias não sumiu. Morro de vontade de conhecer essas histórias e a minha ansiedade para lê-las fica ainda maior quando vejo um vídeo ou leio uma resenha de alguém que gostou muito dos livros e recomenda fortemente a experiência de leitura. 

É então que me pergunto: qual é o meu problema? Por que não leio esses livros logo? Juro que não encontro resposta racional para essas perguntas, mas creio que tenha algo a ver com expectativas. A maioria dos livros que aguardam eternamente para serem lidos é formada por clássicos ou histórias aclamadas e amadas por muita gente. Tenho medo de me frustrar e, por isso, sempre que penso em ler algum deles, fico pensando se seria o "momento certo" para aquela leitura e sempre que opto por não ler, digo que é porque não era a hora. Mas, até que ponto o momento é errado e até que ponto sou eu interferindo nas minhas leituras por medo de uma possível frustração? Não sei. De verdade, não sei.

Como não pretendo abandonar o blog e/ou o canal, sei que recomendações de bons livros continuarão a ser feitas e, consequentemente, continuarei a acumular boas histórias não lidas em minha estante. E, naturalmente, continuarei a ter mais livros do que posso ler. No fim, quem acaba perdendo sou eu, óbvio. Porque tenho certeza que, mesmo com algumas frustrações pelo caminho, muitas dessas histórias irão me encantar e eu vou me arrepender profundamente pela demora em conhecê-las. E não há uma fórmula ou uma receita a seguir para solucionar este problema. O único jeito de saber se vou ou não gostar desses livros é lendo-os, certo? Então está aí mais uma meta literária para 2014: perder o medo de histórias aclamadas e amadas.

Gosto de pensar que não estou sozinha nessa, por isso, adoraria ler nos comentários as experiências de vocês. Alguém aí já passou ou está passando por alguma situação similar? O que vocês fizeram para perder o medo dessas histórias? As expectativas atrapalham vocês? Contem tudo nos comentários, a gente vai adorar saber.

3 comentários:

  1. Eu também vivo essa situação... Uma procrastinação ad eterno. Tenho 99 livros não lidos em minha estante (sem contar com os do kindle), muitos desses eram "leituras que eu tinha que fazer agora". Passaram meses, quiçá anos e nada. Por isso não estou mais comprando livros. Me determinei a ler todos os que estão encalhados, porque percebi que o livro novo sempre é o mais interessante. Ótimo post, como sempre! Abraços. Mariucha

    ResponderExcluir
  2. Como um total fan de As brumas de avalon, eu preciso mesmo de um espaço para tietar e dizer que é uma das melhores leituras que fiz em toda minha (ainda curtíssima) vida, e não querendo botar mais lenha na fogueira, preciso dizer que sua vida não vai estar completa enquanto você não ler este livro. hahahahaha! Ok, brincadeira á parte, ele é realmente impressionante, e é realmente um dos melhores livros que li.
    Confesso que não tenho esse problema porque nunca estou com livros sobrando pra ler, sempre que termino de ler o que comprei eu tenho que juntar todas as moedinhas possíveis para comprar outro, então nunca posso me dar ao luxo da procrastinação! hahahahahah!
    Mas olha, também já tive esse sentimento de estar botando muita espectativa em um livro, e ficar com medo de no fim me decepcionar, e que, bom, não tem nenhuma solução a não se a de ler e tirar as próprias conclusões, certo? hehe!
    Admirável mundo novo, meu deus, eu realmente preciso desse livro! Eu fiquei tomando conhecimento dele faz pouco tempo, e não me apareceu sequer uma pessoa para falar que ele é ruim, e todos usam adjetivos enormes: Impressionante! Um dos maiores livros que já li! Um dos melhores livros já escritos! Chocante!
    - e por aí vai.
    Acho que se o tivesse, e tivesse outros livros além dele, também leria outros e o deixaria para depois, e o medinho básico de não achar assim, tão 'espetacular'? hahahaha!
    Conheci o blog há pouco tempo, na verdade eu conheci primeiro o vlog, mas já adoro ambos! Vou estar acompanhando agora e sempre~


    http://pequenoperdido.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. O meu problema é o livro. Eu não tenho como adquiri-lo, na maioria das vezes, ou mesmo não tenho tempo! :( Eu sou muito chata quando se trata de gostar das coisas, mas meu cérebro tem um lembrete de sempre gostar de clássicos, rs!


    Clara
    clarabeatrizsantos.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo