4.4.14

Resenha: O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares

O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares, escrito por Ranson Riggs

Editora: Leya Brasil
Páginas: 336
ISBN: 8580442672

Tudo está à espera para ser descoberto em O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, um romance que tenta misturar ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas.





O orfanato da Srta. Peregrine é o primeiro livro do escritor norte-americano Ransom Riggs e nos traz a história de Jacob Portman, um adolescente de 16 anos que é, aparentemente, comum  e tem o seu futuro completamente planejado por seus pais, de quem é realmente distante. O pai é um escritor frustrado, a mãe é uma mulher fútil e a única pessoa com quem Jacob tem uma boa relação é o seu avô - judeu refugiado no País de Gales durante a Segunda Guerra Mundial - , de quem costumava escutar histórias a respeito das crianças peculiares.

Essas crianças tinham habilidades diferentes - como levitar, ficar invisível, cuspir abelhas e produzir fogo com as mãos - e viviam em um orfanato sob a proteção da Srta. Peregrine, sua diretora. Com o passar do tempo, o avô de Jacob parou de contar essas histórias e o garoto se convenceu de que eram apenas invenções com o intuito de entretê-lo. Porém, quando o livro tem início, o avô de Jacob começa a se comportar de maneira estranha, falando incessantemente sobre as crianças peculiares, e todos resolvem ignorar, pois julgam que seja apenas uma consequência de sua idade avançada.

Após uma situação traumática, Jacob começa a questionar a veracidade daquelas histórias e, junto com seu pai, viaja para o País de Gales, onde começa a investigar o passado de seu avô e o paradeiro das crianças peculiares.

Acredito que o maior "problema" com O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares sejam as expectativas criadas pela capa, pela sinopse e pelas imagens bizarras e assustadoras que os acompanham. Tudo - absolutamente tudo! - leva a crer que o livro trará um determinado tipo de história cheia de elementos sobrenaturais que causam medo ao leitor, porém, o que encontramos é, na verdade, bem diferente.

Não que a sinopse e a capa sejam mentirosas, porque não são. Tudo o que é apresentado ali condiz com a história no livro, que só começa a mostrar a que veio mais ou menos na metade. E aí, o que, aparentemente, seria uma história de suspense e terror se transforma em algo completamente inusitado que mistura elementos de mistério, aventura, fantasia e ficção-científica. Apesar da surpresa um tanto inesperada, eu gostei do rumo que a história tomou, mas entendo completamente aqueles que não gostaram do livro.

A narrativa é feita em primeira pessoa por Jacob, um protagonista divertido, irônico e que, na minha opinião, não fica chato em nenhum momento. Mesmo se tratando do primeiro livro de Ransom Riggs, o autor já mostra que tem uma escrita muito boa e um jeito muito particular de contar histórias. Um fato curioso é que todas as fotografias utilizadas no livro são verdadeiras! Riggs coleciona fotografias vintage e as utilizou para construir a sua história. Ou seja, todo aquele ar de freak show que as imagens apresentam é 100% verdadeiro - ou quase isso, já que mesmo naquela época as pessoas já sabiam como manipular imagens.

De uma forma geral, a leitura de O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares foi agradável e recomendo o livro à todos os que gostam de histórias de mistérios; só tenham em mente que este é um livro para o público juvenil e que as fotografias são mais assustadoras que a história em si.





7 comentários:

  1. CARAMBA, é sério que não é um livro de terror? AHEUHEEA, fui enganada pela capa, bem como você disse. Poxa, eu passava longe do livro porque folheava ele e achava mega creepy. Mas então tenho que dar uma chance, gosto desse gênero científico e de fantasia. ♥

    Obrigada por desmistificar, Michas! Hehehe :***

    ResponderExcluir
  2. Já sabia que não e uma história de terror e por isso coloquei na minha wishlist depois de ver tantos blogueiros elogiando esse livro. Quero muito ler ele.. E por sinal a versão original hardcover e linda demais!
    Forever a Bookaholic

    ResponderExcluir
  3. melhor livro que li em muito tempo. leia hollow city, a continuação, também totalmente excelente e depois sofra esperando o terceiro volume da série. :(

    ResponderExcluir
  4. Oi, Taynara


    Nossa, tenho essa blusa há uns anos já! Nem lembro como a consegui. Deve ter sido na C&A, ou na Renner...

    ResponderExcluir
  5. Pos é, Raquel! Não chega a ser de terror não. Traz mistério e fotos bem feias, mas não tive medo, hehe. Ele é bem surpreendente! Espero que goste da leitura!


    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, Camylla


    Gostei bastante desse livro! Espero que você também goste. Tem razão, a versão em Hardcover é bem bonita!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Edson!


    Já tenho meu Hollow City aqui na estante. Só estou enrolando um pouco para ler para não ter que sofrer muito enquanto espero a sequência :)


    Você sabe quantos livros serão?

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo