7.3.14

Resenha: O Palácio de Inverno

O Palácio de Inverno, escrito por John Boyne

Editora: Companhia das Letras
Páginas: 456
ISBN: 8535917101

Na primeira vez em que alterou o curso da história, em 1915, o então jovem camponês russo Geórgui Jachmenev conseguiu impedir um atentado à vida do grão-duque Nicolau Nicolaievitch, irmão do czar. Esse involuntário ato de bravura acaba por assegurar a Geórgui um lugar de honra na corte de Nicolau II, que o nomeia guarda-costas pessoal de seu filho, o também adolescente Alexei Romanov. Em 1981, agora cidadão britânico e funcionário aposentado da biblioteca do Museu Britânico, o octogenário Jachmenev, enquanto vela pela saúde da esposa Zoia, que vive os últimos estágios de um câncer devastador, deixa a memória flutuar, recordando aleatoriamente os fatos de sua vida, grande parte deles ligados diretamente a eventos históricos que transformaram o século XX. Rasputin, Winston Churchill, um amigo de Charles Chaplin, o último czar russo e outros personagens históricos de vulto misturam-se às pessoas comuns do imaginário de Jachmenev, à medida que sua memória vai aproximando os dois momentos mais importantes de sua vida, aquele em que conquistou o amor de sua vida e aquele em que está prestes a perdê-lo de forma definitiva.

 





Em O Palácio de Inverno, John Boyne nos apresenta a Gueórgui Jachmenev, um senhor russo com seus 80 e poucos anos, que vive em Londres e que, em 1981, está prestes a perder Zoia, o amor de sua vida, que está internada e sofrendo a fase terminal de um câncer. Sabendo da situação de sua esposa, Gueórgui começa a lembrar e narrar alguns acontecimentos da vida que tiveram juntos.

Paralelamente à essa narrativa, um Gueórgui mais jovem, no auge de sua adolescência, nos conta como deixou de ser um mero camponês, filho de lavrador que vivia em uma pequena aldeia no interior russo, para se transformar no mais novo membro da Guarda Imperial do czar Nicolau II, com uma missão especial: ser o guarda-costas do pequeno Alexei, herdeiro do trono russo. Através dos olhos de Gueórgui, podemos conhecer um pouco do que era a vida no Palácio de Inverno, a residência do czar e de sua família, em São Petersburgo. 
A narrativa, construída de forma bastante criativa, foi dividida em duas partes: a narrativa de Gueórgui mais velho - que segue uma ordem decrescente - e a narrativa do jovem Gueórgui que ocorre de forma crescente. O clímax acontece quando ambas se encontram. É interessante mencionar que enquanto acompanhamos as narrativas de vida de Gueórgui, podemos notar que acontecimentos marcantes do século XX - como a Revolução Russa, a Segunda Guerra Mundial e a morte de Stalin - servem como plano de fundo.

Particularmente, sempre me interessei por esse lado da história russa, que envolve a dinastia Romanov, e este livro de John Boyne foi uma ótima escolha. Misturando ficção com realidade, o resultado obtido pelo autor é em um romance histórico emocionante, cheio de segredos e  um desfecho excelente.

O que mais gostei foi poder "conhecer" um pouco mais alguns personagens que marcaram a história russa e mundial, como a grã-duquesa Anastasia e o padre Grigori Rasputin.

Em linhas gerais, recomendo muito a leitura de O Palácio de Inverno para aqueles que estão à procura de um livro envolvente ou que gostam de romances históricos.


John Boyne nasceu na Irlanda, em 1971, onde vive até hoje. Começou a escrever histórias aos 19 anos e dez anos depois seu primeiro romance (O Ladrão do Tempo) foi publicado.

Além de trabalhar em uma livraria dos 25 aos 32 anos,  foi professor de língua inglesa no Trinity College e de Literatura Criativa na Universidade de East Anglia, onde foi agraciado com o prêmio Curtis Brown. Seus livros mais conhecidos são  O menino do pijama listrado (2006),  O garoto no convés (2008) e O Palácio de Inverno (2009) . [Fonte]








   

12 comentários:

  1. Já havia visto um pessoal falando desse livro, mas nunca me interessei realmente, mas agora ao ler sua resenha fiquei com vontade de ler, então lá vai mais um livro pra minha lista hahaha.

    Marcelo
    1001-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu também sempre me interessei por essa parte da história, mas normalmente no ensino médio passamos tão rápido por ela. :(
    Só li um livro do autor e tenho curiosidade de ler esse livro, principalmente por conta do contexto do livro. :D
    Além de que eu adorei a ideia de uma narração crescente e outra decrescente com um ponto de encontro entre ambas, gostaria de ver como isso vai acontecer.

    Beijos,K.
    Girl Spoiled
    http://girlspoiled.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Michas.


    Eu ainda não li nada do John Boyne, mas comprei esse livro faz um tempo. Ainda preciso lê-lo. Nunca li nada que se passa nesse momento histórico. Deve ser enriquecedor o fato do livro mesclar fatos reais.


    Beijão. Boas leituras.
    Amanda,
    Lendo & Comentando :)

    ResponderExcluir
  4. Michas,


    Me interessei muito pelo livro. "O Palácio do Inverno" tem uma ótima sinopse e, assim como você, também gosto muito da dinastia Romanov. Lembro de assistir Anastasia mil vezes quando era criança e depois sair procurando na internet tudo sobre a família. Por isso eu fiquei mais do que feliz com você falando desse livro. É uma oportunidade para eu descobrir algo mais sobre essa família. Além disso eu nunca li romances históricos, so I guess I should give it a go, right?


    Ótima resenha (:


    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Marcelo!
    Gostei muito de "O Palácio de Inverno", espero que você também goste :)

    ResponderExcluir
  6. Karine, a forma como o John Boyne construiu a narrativa em "O Palácio de Inverno" é uma das melhores partes do livro. A história é muito envolvente também e podemos aprender um pouco a respeito do fim da Rússia imperial.
    Gosto muito do John Boyne. Estou lendo um dele no momento e, em breve, volto para contar o que achei :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi, Amanda :)
    Ah, mas que bom que já tem o livro aí com você! Agora só precisa ler :)
    Acho que você vai gostar bastante, porque a narrativa, além de muito criativa, é bastante envolvente. Fora que dá para aprender bastante coisa sobre o período histórico :)
    Beijos e boas leituras para você também

    ResponderExcluir
  8. Oi, Mariana
    Eu também era viciada em Anastasia quando era mais nova, ahaha! Aliás, até hoje adoro o filme e sempre que posso, assisto ao DVD :) Esse período do fim da dinastia Romanov é muito interessante! Fico muito feliz que tenha gostado da resenha e que esteja pensando em ler! I think you should totally give it a go!

    ResponderExcluir
  9. Marquei vocês em uma Tag lá no meu blog rs *-*

    www.cometaseestrelas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, Dani! Como vai?
    Eu visitei seu blog e não encontrei nenhuma tag, não rs Tem como me passar o link direto para a postagem?
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Marina Rocha Daros14 de março de 2014 14:35

    Adoro os livros do John Boyne. Além de possuírem sempre uma linda história, são baseados em algum acontecimento significativo.
    O Palácio de Inverno e O Menino do Pijama Listrado são os meus favoritos dele.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi, Mariana :)


    Gostei muito da forma como o John Boyne conta as suas histórias. Ainda não li O menino do pijama listrado e preciso mudar isso hehe :)


    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo