21.2.14

Três adaptações cinematográficas

Quando a Mell me convidou para escrever por aqui, uma das ideias que ela me sugeriu foi que eu escrevesse também sobre filmes baseados em livros. Como adaptações cinematográficas reúnem duas de minhas grandes paixões (livros e filmes), adorei a ideia e desde então fiquei pensando em como abordá-la por aqui. Para começar, decidi falar sobre três adaptações que me agradam bastante. Vamos lá?


Baseado na obra de L. Frank Baum, O Mágico de Oz é um musical que traz Judy Garland na pele de Dorothy Gale, uma garota que vive com os tios em uma fazenda no Kansas e que sonha com um mundo além do arco-íris, onde tudo será melhor. Um dia, um ciclone atinge a região e, Dorothy, sem conseguir chegar ao abrigo à tempo, entra dentro de casa, onde é atingida na cabeça; ao acordar, percebe que foi transportada - junto com sua casa e seu cãozinho Totó - para uma terra encantada chamada Oz. Com a sua chegada, Dorothy acidentalmente matou a Bruxa Malvada do Leste e libertou o povo dos Munchkins de seu domínio. Assustada com tudo o que aconteceu, a única coisa que a menina quer é poder voltar para casa e o único que pode ajudá-la é o maravilhoso mágico de Oz. Ao longo de suas aventuras por essa terra encantada, Dorothy irá encontrar amigos que se juntarão à ela em sua jornada e enfrentará os planos malignos da Bruxa Malvada do Oeste, que quer vingar a morte de sua irmã.

Em termos de acontecimentos, o filme assinado por Victor Fleming é bastante fiel à obra de Baum, apresentando poucas alterações que se mostraram úteis para o cinema daquela época, que vivia a chegada do Technicolor. Os cenários são bastante ricos em detalhes e cheio de cores vivas e bastante vibrantes. É realmente muito lindo. E as canções, apesar de não estarem no texto original do livro, só acrescentam à narrativa, deixando tudo mais lúdico e divertido. Destaques para Over the Rainbow, Follow The Yellow Brick Road e We're Off to See the Wizard. 



Ambientado no interior da Inglaterra do século XVIII, o filme traz a história das cinco irmãs Bennet: Jane, Elizabeth, Mary, Kitty e Lydia. Criadas de forma modesta, as moças sempre foram instruídas por sua mãe a respeito de como era importante arranjarem um bom casamento, tendo, dessa forma, um bom futuro garantido. Com a chegada do rico e solteiro Sr. Bingley à região - acompanhado de seu amigo, Sr. Darcy - , as expectativas da Sra. Bennet não poderiam ser mais altas. Enquanto Jane logo percebe que conquistará o coração de Sr. Bingley, Elizabeth - que sempre sonhou com uma vida marcada por algo além da dedicação a um marido - não suporta o esnobe Mr Darcy, com quem está sempre discutindo.

O filme de Joe Wright foi baseado na obra de mesmo título escrito por Jane Austen e traz Keira Knightley e Matthew McFayden no papel dos protagonistas. Com uma fotografia lindíssima, a adaptação faz bastante jus à obra de Jane Austen, capturando a atmosfera bucólica da região e as críticas feitas à sociedade da época. A trilha sonora também merece um destaque por aqui, já que, além de bela, combina muito com as paisagens campestres apresentadas no filme.


O filme é uma adaptação mais livre (?) da obra-prima de F. Scott Fitzgerald e traz a narrativa de Nick Carraway que, por conta de um novo emprego, muda-se para Long Island e se torna vizinho do misterioso e fascinante Jay Gatsby. Após ser convidado para uma festa na mansão de Gatsby, ambos se tornam amigos e Nick descobre que seu vizinho nutre uma antiga paixão por sua prima Daisy Buchanan. Decidido a ajudar o amigo a recuperar sua amada, Nick resolve reaproximar os dois, ignorando completamente o fato de ela ser casada com Tom, um milionário da região.

Dos três filmes da lista, acredito que este seja o que mais divide opiniões. Por ser dirigido por Baz Luhrman - conhecido por trazer uma visão mais "espalhafatosa" em seus filmes -, O Grande Gatsby tem um ritmo um tanto acelerado e meio frenético em algumas partes, o que difere bastante da narrativa de Fitzgerald, mais lenta e sempre muito trabalhada. Há também o fato de que, ao invés, de utilizar-se de clássicos do jazz para integrar a trilha sonora, o diretor optou por músicas mais modernas cantadas por artistas atuais, o que causa um certo estranhamento e é, a meu ver, o ponto mais negativo do filme (desculpem, mas não consegui aguentar Crazy in Love). 

Com esses "problemas" apontados, preciso dizer que, ainda assim, gosto bastante desse filme. Por mais que o ritmo seja um tanto acelerado, acho que combinou com as situações apresentadas na história original. O elenco também me agradou bastante; acho que Leonardo DiCaprio foi uma ótima escolha para interpretar o personagem título (ainda que seja anos mais velho que Gatsby), Tobey McGuire não fez feio na pele de Nick e Carey Mulligan, apesar de ser a que menos me impressionou no elenco, trouxe uma Daisy menos nojenta e chata que a original. O que é ótimo, pois a Daisy é insuportável, gente! Outro aspecto que merece ser citado é o cuidado da produção na escolha de figurinos e montagem de cenários; tudo ficou muito rico em detalhes, o que, além de agradar ao olhar, ajuda muito na hora de imergir na história.


Agora fiquei curiosa: quais são as adaptações de livros para filmes que vocês mais gostam? Quem se interessou por algum desses filmes pode aproveitar o fim de semana para assistir, né? Lembrando que sempre recomendo a leitura dos livros antes. Depois me contem o que acharam :)



8 comentários:

  1. Oi Michas, tudo bem? Das 3 adaptações eu já assisti duas: A do Mágico de Oz que eu confesso que não me lembro muito, pois, assisti quando era bem criança e só pretendo ver novamente depois de ler o livro, e O grande Gatsby <3 que eu assisti recentemente.

    Apesar dos exageros do filme do Baz, eu gostei bastante do filme, acho que principalmente porque o Gatsby me conquistou tanto quanto no livro, pra mim a escolha do DiCaprio para fazer o Gatsby foi perfeita, eu amei a atuação dele <3, A Mulligan eu também gostei da interpretação dela, me pareceu fútil e egoísta assim como no livro. Quem menos gostei de todos foi o Tobey, eu simplesmente não consigo olhar para ele sem ver o homem aranha! Pra mim eram as mesmas caras sabe? Eu não consegui diferenciar um personagem do outro, mas a atuação dele também não foi de toda ruim.

    Adorei o post!

    Um beijão pra vc e pra Mell :*

    http://justonemomentt.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. O Mágico de OZ é uma das adaptações felizes da minha lista.

    Ainda colocaria aí "Dr Jivago" "E o vento levou..." são minhas obras preferidas e felizes.

    Orgulho e preconceito nem falo muito. Vai parecer ridículo,mas prefiro o filme do que o livro. Achei os atores escolhidos muito bons e foram bem dirigidos.

    Beijinhos

    http://intheskyblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Dessa lista, não assisti ao Mágico de Oz, quem sabe um dia? Porém, Orgulho e Preconceito é um dos meus filmes preferidos de todos os tempos *.*
    Beijos!
    http://arrastandoasalpargatas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Eu assisti Oz, Mágico e Poderoso, a adaptação, da adaptação e não gostei. Ainda quero ver a versão original. Orgulho e Preconceito é muito amor *-* E quero muuuuito ver O Grande Gatsby!
    Beijos


    Camila Leite
    @sonhospontinhos
    http://sonhosentrepontinhos.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Maiara


    Tudo bem sim e com você? Me desculpe pela demora em responder...


    Ah, que legal (?) que você não se lembra muito bem do filme de "O Mágico de Oz"! Vai poder ler o livro sem saber muito bem o que vai acontecer e depois se encantar com o musical <3


    Gostei bastante da adaptação do Baz para O Grande Gatsby. Achei que capturou muito bem a atmosfera do livro e as atuações foram todas muito boas. Ao contrário de você, gostei do Tobey! Acho que foi um bom Nick, hehe. Mas é verdade, é impossível não olhar para ele sem lembrar do Homem-Aranha - aliás, ele é o meu Homem-Aranha, haha. Não consigo gostar dos filmes novos :/ Mesmo sabendo que o Andrew Garfield fez um ótimo trabalho...


    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Adoro o Mágico de Oz! <3


    Nunca assisti Dr. Jivago, mas adoro "...E o vento levou". Um dia quero ler o livro :)


    Li Orgulho e Preconceito há uns anos e sei que vou mudar de opinião em relação ao livro quando fizer uma releitura, hehe. Mas não há como negar que os atores escolhidos para a adaptação são excelentes :)


    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Rafa, o filme de O Mágico de Oz é uma graça! Se você gosta de cinema clássico, não pode perder :)
    As músicas são ótimas e ficam na cabeça por dias hehe!


    Orgulho e Preconceito é lindo, né? Amo os figurinos e a fotografia do filme! E o Mr. Darcy <3


    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi, Camila


    Então, nem sei se dá para chamar Oz - Mágico e Poderoso de adaptação da adaptação. O filme parece ser algo mais...sei lá. Achei divertido, mas longe de trazer o encanto do filme clássico; fora que Mágico e Poderoso em si é o maior spoiler de O Mágico de Oz :/


    O Grande Gatsby é muito bom! Acho que a adaptação foi bem fiel e os atores escolhidos ficaram ótimos :)


    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo