12.2.14

Quote da semana #13 - A Culpa é das Estrelas

(Imagem: Aqui)
Não sei se sentiram a falta dessa coluna domingo passado. O fato é que decidi passá-la para quarta-feita (ou terça-feira, estou pensando no caso ainda rs) por abordar assuntos mais leves e rápidos, assim não tenho que ficar tanto tempo durante a semana em frente ao computador, e vocês aproveitam algo mais cotidiano durante o dia corrido, o que acham? Domingos daí ficam para resenhas, que são mais longas e demandam um tempo de leitura maior (porque, espero, as pessoas leem todo o post, ou pelo menos parte dele).

A Culpa é das Estrelas é uma leitura de janeiro que ainda não compartilhei com vocês (leia-se: ainda não fiz resenha nenhuma), mas sempre quis trazer três quotes muito bacanas dele.

Os verdadeiros heróis, no fim das contas, não são as pessoas que realizam certas coisas; os verdadeiros heróis são aqueles que REPARAM nas coisas. O cara que inventou a vacina contra varíola não inventou nada, na verdade. Ele só reparou que as pessoas que tinham varíola bovina não pegavam varíola.

Meus pensamentos são estrelas que não consigo arrumar em constelações.

- Tipo: você coloca a coisa que mata entre os dentes, mas não dá a ela o poder de completar o serviço.
- É uma metáfora - falei, hesitante.
Mamãe esperava, quieta.
- É uma metáfora - ele repetiu.
- Você determina seu comportamento com base nas ressonâncias metafóricas...
- Ah, é. - Ele sorriu. O sorriso largo, meio bobo e sincero. - Sou um grande adepto da metáfora, Hazel Grace.

O livro possui muitas sutilezas que indicam alguma crítica do autor. Poucas, confesso, mas essas já me conquistaram. Sempre odiei o cigarro e tenho para mim o ato de fumar algo ignorante, egoísta e auto-destruidor. O autor soube trabalhar com essa questão de maneira tão agressiva e bela, simplesmente adorei.


E vocês, já leram o livro? O que acharam dele?

7 comentários:

  1. Eu amei esse livro *_* Chorei tanto lendo ele T.T Adoro a metáfora de Augustus, faz muito sentido o que ele diz. Tem muita coisa no livro que dá vontade de sair anotando e repassando em todas as redes sociais possíveis.

    http://refugiorustico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Hahaha Eu chorei, mas nem tanto, acredita? E só no final...
    Verdade, eu marquei algumas passagens, mas fiquei com vontade de reler o livro para anotar todas que lembro ter visto.


    Beijos, e obrigada por comentar aqui no blog :)

    ResponderExcluir
  3. Leitores Possessivos15 de fevereiro de 2014 05:53

    Ah, amo esse livro. É lindo! Não consigo dizer qual é minha quote favorita, mas adoro quando o Gus fala que está apaixonado por ela. Chorei muito, principalmente durante o final, haha. Livros bons merecem ser lidos, e esse é maravilhoso.


    Adoro essa coluna :)

    Beijos,

    Ayanna

    http://leitorespossessivos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, Mell, como vai?
    Tenho um problema com esse livro?
    Bem, não curti o enredo, nem os personagens. Talvez, eu tenha ido com tanta expectativas nesse livro que deu nisso. Eu o li no final do ano retrasado. Fiquei pasmo como fui títulado como "coração de pedra" porque não chorei ao ler este livro, e porque não curti.
    O amigo deles -o que tem problema na visão e fica cego- é um -e talvez, NA MINHA opinião- o personagem mais bacana.
    Mas, meu problema é que não curto a escrita dele também. Recentemente, minha irmã me emprestou um livro dele "Cidades de papel", li rapidão.... Não gostei. E desisti de ler coisas dele. Dois livros me foram suficientes. Talvez, futuramente, eu o leia novamente, mas, sla.
    Parabéns pelo teu blog <3
    Abraços,
    Italo.
    http://incriativos.blogspot.com.br/2014/02/seminario-dos-ratos-lygia-fagundes.html

    ResponderExcluir
  5. E eu que li Quem é você, Alasca? e odiei, mas mesmo assim a ACEDE depois? Ainda bem que gostei desse segundo, darei mais uma chance ao autor, mas estou com receio rs A chance de também não gostar é grande.
    Precisamos reler, então :)

    ResponderExcluir
  6. Eu também não tenho uma quote preferida, difícil escolher, não é? :(
    Eu só chorei no final, acredita? Acho que os personagens não deixaram o clima lúgubre se instalar e ficar... O que é um ponto bem positivo do livro.
    Merece mesmo :)
    Obrigada por comentar sempre aqui o/ E fico feliz que goste da coluna ;)

    ResponderExcluir
  7. Oi, Italo, tudo tranquilo e contigo?
    Olha, algumas pessoas realmente não curtem. Eu não gostei de Quem é você, Alasca? do autor.Eu só chorei no final, e nem tanto assim também, então te entendo hahaha
    Eu gosto também do amigo deles, mas gosto muito mais do Gus somente pela metáfora haha Acho genial.
    Cidades de Papel é o próximo dele que lerei, pena que não gostou... :(
    Obrigada pelo carinho e por comentar sempre aqui <3

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo