6.1.14

Quote da semana #8 - O diário de Anne Frank

(Imagem: Aqui)
Eu sei, eu sei. Semana passada eu simplesmente ignorei essa coluna... Mas eu queria porque queria postar logo o sorteio e a resenha de Peter, e foi bem no domingo isso, dia dessa coluna (o que, por sinal, vocês devem estar pensando: mas hoje é segunda-feira! E sim: ontem comecei uma maratona de provas, então foi difícil ficar no computador.)

Mas voltando às quotes, trouxe algumas de um livro extremamente marcante: O diário de Anne Frank

Mesmo tendo somente quatorze anos, sei o que quero, sei quem está certo e quem está errado, tenho minhas opiniões, ideias e princípios, e mesmo que pareça estranho vindo de uma adolescente, me sinto mais como uma pessoa do que como uma criança - me sinto completamente independente dos outros. p. 233

Você pode me dizer por que as pessoas se esforçam tanto para esconder seu eu verdadeiro? Ou por que sempre me comporto de modo muito diferente quando estou perto dos outros? Por que as pessoas confiam tão pouco nas outras? Sei que deve haver um motivo, mas algumas vezes acho horrível não poder confiar em ninguém, nem mesmo nas pessoas mais próximas. p 181

Não acredito que a guerra seja apens obra de políticos e capitalistas. Ah, não, o homem comum é igualmente culpado; caso contrário, os povos e as nações teriam se rebelado há muito tempo! Há uma necessidade destrutiva nas pessoas, a necessidade de demostrar fúria, de assassinar e matar. E até que toda a humanidade, sem exceção, tenha passado por uma metamorfose, as guerras continuarão a ser declaradas, e tudo que foi cuidadosamente construído, cultivado e criado será cortado e destruído, só para começar outra vez! p. 291

Tenho para mim que Anne Frank me ajudou a crescer muito, mesmo que apenas através de observações de seu próprio crescimento. O diário começa a ser escrito antes mesmo de sua família ter que se mudar para o esconderijo, e Anne ainda era apenas uma pré-adolescente começando a sentir o baque da guerra: até então, nunca havia sofrido em sua vida, e mal sabia das terríveis coisas que a humanidade pode cometer.

Uma vez escondida, ela começa a fazer questionamentos, a prestar atenção nos motivos que fazem com que tantas pessoas, que antes mal se conheciam, tenham que se fingir de mortos. O que antes era uma relato fútil de uma garota arrogante, tornou-se uma descrição muito vívida do que era realmente estar fugindo e se escondendo dos nazistas. Ela passou a escrever sobre política, sobre sua rotina e, junto disso, podemos perceber um amadurecimento psicológico precoce (o que me faz pensar que, talvez, se ela não tivesse nascido nessa época, passado por tudo o que passou, ela tivesse começado a escrever apenas mais tarde.)

Com uma personalidade forte, Anne não media palavras em seu diário - ali ela foi ela mesma, com todos os seus conflitos e dúvidas. Até seu pai, que era a pessoa de quem Anne mais gostava, disse ter ficado surpreso ao ler o seu diário.

É um livro realmente muito emocionante. E creio que, se você gosta da temática de Segunda Guerra Mundial, é até um pecado você ainda não ter lido ;)


PS: Quão LIN-DO é A culpa é das Estrelas, do John Green, quando a Hazel e o Gus estão no museu da Anne Frank, na Holanda?

10 comentários:

  1. OI, Mell!!
    Gente, terceiro blog falando sobre a Anne Frank essa semana... É alguma data especial ou eu perdi alguma coisa? Hahahaha
    Amei muito, porque esse livro é realmente tocante.
    E eu queria muito visitar o museu... Fiquei fã da Anne Frank, recentemente até comprei o livro da irmã dela (que é na verdade meia irmã) falando sobre depois de Auschwitz. Assim que ler eu te conto.
    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é tão lindo. Eu li pro colégio e prometi a mim mesma que esse ano eu irei relê-lo. É muito triste, mas é muito lindo e comovente, gostei muito dos quotes que você escolheu.

    Beijos

    http://livrosecafelatte.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Sempre fui muito curiosa em relação a esse livro
    Já estava na minha lista

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Mell.

    curti bastante seu post. Nunca li esse livro, mas fiquei curiosa.
    Não sou muito fã de histórias assim, porque são sempre bem tristes. =/
    Um dia darei uma chance.

    beijos.

    ResponderExcluir
  5. Adicionei esse livro no skoob ele parece ser muito legal!! Adorei o seu blog meu Parabéns!!

    http://cadalivroumnovomundolr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu comprei esse livro junto com A Menina Que Roubava Livros e é lindo demais!
    É um relato muito vívido , muito emocional e talvez o mais pessoal que se consiga ter de alguém que estava no meio do fogo cruzado sem fazer mal a ninguém e infelizmente sofreu as consequências.
    A edição que eu comprei era de bolso porque eu não podia gastar muito , mas pretendo reler e também comprar uma mais bonita pra manter , é um livro que entrou para os meus favoritos e caso eu tenha filhos um dia eu certamente passarei a eles.

    Realmente pra quem curte o tema 2a Guerra é essencial a leitura desse livro.Esse diário foi uma verdadeira vitória e o fato da Anne ter querido desde o início passá-lo adiante é algo super tocante.

    *Adorei essa cena de A Culpa É Das Estrelas também!!! A parte deles na Holanda é pra mim a parte mais bonita do livro e provavelmente do filme.Acontece muita coisa importante lá e <3.Depois faça um vídeo falando das suas impressões do livro!*

    ResponderExcluir
  7. Eu preciso desse livro para ontem! Está na minha lista faz tempo mas nunca consegui comprá-lo.
    Adorei seu blog Mel, tudo muito lindo aqui. Vou passar sempre que puder, adorei sua escrita! :)
    Beijocas!

    daninhafarias.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Mel!
    Minha mãe comprou O Diário de Anne Frank já faz anos, e aí me interessei. Aqui em casa é aquela coisa da filha gostar de ler porque a mãe é leitora hehe Eu tinha uma ideia de que o livro se passava na segunda guerra mundial e mais nada, até achava que a Anne Frank fosse uma mulher adulta que tivesse sobrevivido à guerra, mas já sei que não. Só que pelas frases que você colocou, dá pra ver como a Anne era madura e a frente do seu tempo. Eu, com 14 anos estava mais preocupada com porquês muito mais fúteis e bobos que os da Anne haha, e até hoje há muita coisa que a gente ainda não pensa e não reflete sobre, mas sobre as quais ela já pensava e tudo. Acho que vou gostar muito de ler esse livro. Beijos, Nicole! ~
    http://nicolebona.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Mell!
    Parabéns pelo post! Li recentemente O Diário de Anne Frank e tenho as mesmas opiniões que você. Em várias partes do livro notei que, durante essa época, ela tinha de descobrir as coisas por si, principalmente porque estava presa, sem contato com o mundo lá fora. E sempre pensei no que aconteceria se Anne tivesse sobrevivido.

    Ah, e adoro quando Hazel e Gus visitam o museu <3

    Beijos,
    Ayanna.
    http://leitorespossessivos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi.

    Eu ainda não li o livro, mas tenho super interesse em ler.
    Amei os quotes o que só aumentou minha vontade de ler.


    Beijos Fê.
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo