24.12.13

Resenha: Anjos à mesa

Anjos à mesa, escrito pela autora Debbie Macomber.
Editora: Novo Conceito
Páginas: 222
ISBN: 9788581633411

Shirley, Goodness e Mercy sabem que o trabalho de um anjo é interminável — especialmente na véspera do Ano-novo. Ao lado de seu novo aprendiz, o anjo Will, elas se preparam para entrar em ação na festa de fim de ano da Times Square. Quando Will identifica dois solitários no meio da multidão, ele decide que a meia-noite será o momento perfeito para dar aquele empurrãozinho divino de que eles precisam para acabar com a solidão. Então, por “acidente”, Lucie Ferrara e Aren Fairchild esbarram-se no meio da alegria da festa, mas, assim como se aproximam, acabam se perdendo: um encontro marcado que não acontece os afasta pelo resto da vida. Ou será que não? Um ano depois, Lucie é a chef de um novo e aclamado restaurante, e Aren é um colunista de sucesso em um grande jornal de Nova York. Durante todo o ano que passou, os dois não se esqueceram daquela noite. Shirley, Goodness, Mercy e Will também não se esqueceram do casal... Para uni-los novamente, os anjos vão usar uma receita antiga e certeira: amor verdadeiro mais uma segunda chance (e uma boa dose de confusão), para criar um inesquecível milagre de Natal. [Fonte]


Anjos à mesa conta a história de três anjas Embaixadoras de Oração e um aprendiz delas. Proibidos de irem para a Terra e, ainda mais, de interferirem na vida dos humanos, os anjos possuem a mensagem clara de que não devem pisar na Terra. Mas o que acontece quando um deles é fascinado por tudo o que é humano? Mais ainda: o que acontece quando três deles são encantados pela Terra? 

Acontece que eles (elas, no caso) acabam visitando a Terra bem na virada do ano na Times Square, um dos lugares mais lotados nessa época. O porém é que elas levam consigo o aprendiz, que acaba esbarrando numa humana, fazendo com que esta conheça um humano, ambos perdidos ali, no meio da confusão da virada do ano. 

Lucie é uma chef muito talentosa que está batalhando para abrir o seu próprio restaurante. Tendo sua mãe como financiadora do projeto, ela não quer que nada dê errado, quer que tudo esteja certo para a inauguração do restaurante. Assim ela realizaria seu sonho e ainda por cima orgulharia sua mãe e não a faria perder dinheiro.

Já Aren acabou de se mudar para Nova York para trabalhar como colunista num dos maiores jornais da cidade. Ainda morando com a irmã, ele aguarda por notícias (boas ou ruins) do possível novo trabalho.

Os dois se esbarram no ano novo. E ambos se perderam de suas companhias. E sentem um atração tremenda, que acaba por render-lhes um beijo instantes depois da contagem regressiva para o novo ano. Depois disso, vão para um bar-café e passam horas conversando, até que Lucie diz que precisa ir embora, pois estava tarde e tinha muito trabalho para ser feito dali a algumas horas. Aren pede para vê-la de novo, mas Lucie, compenetrada em seu trabalho (e sabendo que mal teria tempo para um novo namorado em sua vida tomada pelo restaurante), tenta explicar para ele que aquela não era uma boa hora para os dois começarem a se relacionar. Aren até compreende, mas dá a Lucie uma chance para pensar. Marca um encontro no topo de Empire State Building para dali uma semana, onde estaria esperando por ela. Por uma resposta dela.

Voltando para os anjos, Gabriel, o superior deles, descobre o que fizeram e explica que Lucie e Aren iriam se encontrar apenas dali a um ano. Que não estava nos planos os dois se encontrarem naquele momento. E que Will, o aprendiz, interferira na vida dos dois, no destino dos dois. E, agora, eles teriam que vigiar e concertar o que fizeram, pois o encontro antecipado dos dois teria consequências não planejadas, também.

Com muitos desencontros e alguma tristeza, os dois só se reencontrariam perto do natal, depois de meses. E em meio a confusões provocadas pelos anjos, os dois terão que aprender muita coisa para poderem se conhecer melhor.


Penso no livro e a primeira coisa que me vem à cabeça é um romance muito açucarado e clichê. Porém, ainda assim consegue ser diferente dos romances costumeiros. Utilizando a temática angelical (e aqui algo bem diferente da modinha de anjos dos livros sobrenaturais - afinal, esses anjos não podem ser vistos pela maioria dos humanos, possuem asas e, enfim, vivem no céu, não tendo livre permissão para pisar na Terra), a autora consegue criar uma história com dois ambientes: a perspectiva dos humanos Lucie e Aren, e a perspectiva dos anjos. E ambos têm traços únicos e cativantes.

Os personagens foram bem trabalhados no livro, e esse é um dos pontos principais. Apesar de não conseguir dizer se a Lucie é loira ou ruiva, sei muito bem quais são os seus sonhos e a sua personalidade. A autora trabalha com sentimentos e sonhos, deixando de lado a aparência. Gostei muito do vínculo que Aren apresenta com a sua irmã, uma relação muito bonita e encantadora. Assim como me apaixonei pela mãe de Lucie, uma mulher forte e admirável. E tanto Lucie quanto Aren são personagens reais, não são daqueles que estragam tudo por pouco pensar no parceiro. São maduros e, desse modo, conquistam o leitor.

O livro apresenta um clima bem natalino, combinado à escrita fluída e gostosa. Apesar do clichê (e da irrealidade presente na cena do primeiro beijo), em momento algum fiquei cansada do livro ou deixei de me entreter com a história. E ele consegue, sim, nos transmitir mensagens muito bonitas: sobre natal, sobre família, amor e altruísmo.

É, com certeza, uma boa leitura para o natal (até porque eu li em poucas horas, então dá tranquilamente para ler nessa época e se engajar na leitura e no clima natalino/festivo.)


Desejo a todos os leitores do Literature-se um natal repleto de felicidade, amor, paz e saúde, muita saúde!

12 comentários:

  1. Eu adorei o livro. Era exatamente o que eu estava precisando no sentido leitura leve. Eu notei o clichê, óbvio, do livro, mas esses pequenos diferenciais serviram para que eu gostasse dele mais. :)
    Beijos,K.
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estava precisando, Ka, até porque estava numa maratona de Jogos Vorazes alucinante aqui rs
      Beijos

      Excluir
  2. Adorei a resenha, Mell. A história também me encantou, fiquei aqui desejando o livro a cada linha da resenha, hahaha. Amo histórias de Natal e achei a dica de leitura perfeita para esses dias. Por mais clichê que pareça ser, creio que o livro seja daqueles que a gente começa a ler e não para mais.
    Feliz Natal!

    Beijos,
    Ayanna
    http://leitorespossessivos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, então leia, Ayanna :) Acho que consegui transmitir bem sobre o que conta o livro, então provavelmente gostará dele, sim. E, sim, eu não quis parar de lê-lo, por mais clichê e açucarado que seja :) Beijos, e um feliz natal para você e sua família também :)

      Excluir
  3. Hum, o livro parece uma leitura bonitinha pra época natalina, mas não me convenci totalmente, então prefiro ficar com os clichês dos filmes de um hora e meia, no máximo duas, mesmo hehhe

    O que me vem na cabeça quando penso em livros com anjos é Sussurro e Halo, ambos experiências desastrosas pra mim. Mas entendo que seja bem diferente. Mas sei lá, não me convenço muito. Aliás, você leu O Presente, da Cecelia Ahern?

    Feliz Natal, Mell!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, Fer, aposto que você leria em 2 ou 3 horas. Eu li em 4, já vi gente lendo em 2 mesmo... É bem fluída a escrita e a narrativa.
      Ih, nada comparado a Sussurro (céus!) e Halo. E nem me fale em experiências desastrosas, o final de Hush Hush é um fiasco...
      E ainda não li O presente, Fer. Queria ter lido antes do natal, mas acho que vai ficar pra 2014 :/
      E obrigada, para você também, Fer! Muita saúde :D

      Excluir
  4. Infelizmente não solicitei esse livro
    Pois ele parece ser realmente muito bom

    ~* Boas festas ;)
    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Às vezes também me arrependo por não solicitar quando leio resenhas positivas :/
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Gente, como assim um encontro no topo do Empire State? Tem noção de como é caro subir naquele prédio? E pagar pra poder encontrar uma pessoa? HAHAHA, enfim, achei isso sem noção, mas mesmo assim, queria ter lido esse livro. Uma pena que eu não tenha solicitado! =/
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Eu vi sua video-resenha sobre esse livro, fiquei curiosa! Bjs

    ResponderExcluir
  8. adorei,quero ler esse livor também muito fofa essa resenha
    http://blogradioactive.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Mell!
    Nossa, já vi tantas resenhas legais desse livro. Quero muito ler!
    Beijos

    Meu Meio Devaneio

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo