17.12.13

Escritores e seus locais de trabalho #2 - Charlotte Brontë

Imagem: aqui.

Sempre quis ler os livros das irmãs Brontë, inclusive O morro dos ventos uivantes está na minha lista de Metas literárias para 2014. E Jane Eyre só vem despertando o meu interesse depois que vi essa resenha da Michas lá no youtube. Agora, depois de ler esse pequeno trecho abaixo, minha vontade de lê-las se tornou maior ainda... E quem sabe eu não leio as duas - ao invés de somente uma - no ano que vem?


Este é o cômodo em Haworth Parsonage, conhecidode diversas formas: como a sala de jantar, o quarto de desenho ou o gabinete, no qual as irmãs Brontë escreviam e discutiam seus trabalhos entre si. Quando a romancista Elizabeth Gaskell, amiga de Charlotte e futura biógrafa, o visitou pela primeira vez em setembro de 1853, ela se chocou com a esquisita limpeza e asseio. Contrastando com "cores frias e sem vida" dos campos inférteis de Yorkshire, "o cômodo era a perfeição de calor, de acolhimento e de conforto, o vermelho escarlate predominando na mobília".

Apesar de ter publicado Jane Eyre, Shirley e Villette sob pseudônimo, Charlotte tinha, já naquela época, se tornado uma - um tanto relutante - celebridade literária. Gaskell notou o retrato de Charlotte acima da lareira, encomendado por sua editora do artista da moda George Richmond. A experiência de se sentar para isso foi um desafio para a insegura Charlotte, a qual desabou em lágrimas quando o artista lhe pediu para que removesse algo estranho do topo de sua cabeça (ele pensou que se tratava de algo do seu chapéu, mas possivelmente, e isso era ainda mais embaraçosso, era uma infeliz peruca.) Richmond, no entando, captou o brilho nos olhos de Charlotte, mesmo ele se lisonjeando e convencionalizando o resto do rosto dela, o qual Gaskell encontrou liso, faltando dentes e com características irregulares.

Apesar do conforto do ambiente, ele retém uma aura de melancolia. As irmãs de Charlotte, Emily e Anne, morreram em 1848 e 1849 - dizem que Emily morreu no sofá deste cômodo - e o espaço parece ressoar uma sensação de perda. Depois de Gaskell ter se retirado para a cama no quarto diretamente abaixo, ela pode ouvir os passos de Charlotte no gabinete. O serviçal lhe disse o quanto as três irmãs costumavam andar em volta da mesa enquanto elas conversavam noite adentro: "A senhorita Emily andava o quanto ela podia, e quando ela morreu as senhoritas Anne e Charlotte passaram a fazê-lo - agora meu coração sofre ao ouvir Charlotte andar e andar sozinha".


Para ler mais posts dessa coluna, clique aqui.

7 comentários:

  1. Nossa, Mell! As irmãs Brontë deviam ser bastante melancólicas; digo isso tanto pelos livros que li de duas delas e também por esse relato. O hábito de elas ficarem andando ao redor da mesa à noite me assustou muito. Imagina a Elizabeth Gaskell dormindo no quarto abaixo? Coitada! Parece coisa de filme de terror!

    Leia os dois livros no ano que vem sim! São ótimos, mesmo eu gostando beeem mais de O morro dos ventos uivantes :)

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo diz isso mesmo, Michas. Quanto à melancolia dos livros. Interessante, não?
      Nossa, eu ficaria intrigada se eu dormisse no quarto abaixo. Mas iria me oferecer para participar das reuniões "literárias" hahahaha
      Tentarei ler com certeza :D

      Beijo

      Excluir
  2. Oi, Mell!

    O Morro dos Ventos Uivantes também está na minha lista de futuras leituras. Comprei faz um tempo, vamos ver se em 2014 o leio! Jane Eyre também é um livro que pretendo ler. Eu adoro citações de livros e uma em especial me fez ter mais vontade ainda de ler Jane Eyre. Essa citação aqui:

    "Mas eu continuava viva. E a vida, com suas necessidades e dores e responsabilidades, me chamava. O fardo precisava ser carregado, as necessidades satisfeitas, o sofrimento enfrentado, as responsabilidades assumidas." (Jane Eyre - Charlotte Brontë)

    Bom, quanto a esse trecho sobre as irmãs e um pouco sobre a rotina/vida delas... Bizarro e angustiante, né? :~

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leremos juntas, praticamente, então :) Eu tinha uma edição há tempos também, mas troquei recentemente por uma muito mais bonita. Isso me instigou a ler, também haha
      Uau, amei a quote. Se o livro tiver mais umas duas desse tipo, certeza que irei adorar lê-lo :)
      Angustiante demais, Amanda. Mas imagino a dor da perda...
      Beijos

      Excluir
  3. Imagino essa melancolia pelo livro O Morro dos Ventos Uivantes. Apesar de não ter lido o livro sei a história dele inteirinha e da vontade de chorar só por aí. Quero muito ler Jane Eyre principalmente depois que assisti a adaptação cinematográfica. :)
    Beijos,K
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, todo mundo que lê o livro ou que sabe um pouco da história fala que combina com o tom melancólico mesmo. E nem me fale, meu medo é me emocionar demais com a história. Porque dizem que é emocionante, mas de duas uma: ou você ama o livro, ou você odeia. Veremos :)
      E não sabia que tinha uma adaptação, não. Vou procurá-la depois que ler Jane Eyre.

      Beijos

      Excluir
  4. Eu sou apaixonada pelas irmãs Brontë desde meus 14 anos, por ai, quando descobri O Morro dos Ventos Uivantes. Foi um livro que teve um enorme impacto na minha vida. Ano passado eu li Jayne Eyre e também foi uma experiência incrível. Espero que você se delicie com essas leituras.
    Uma das metas da minha vida é conhecer a casa das irmãs Brontë e a da Jane Austen.
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo