12.7.13

Resenha: A Guerra dos Tronos #1

A Guerra dos Tronos, de George R. R. Martin.
Editora: Leya.
ISBN: 9788580446265
Páginas: 1036

Quando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, aceita a prestigiada posição de Mão do Rei oferecida pelo velho amigo, o rei Robert Baratheon, não desconfia que sua vida está prestes a ruir em sucessivas tragédias. Sabe-se que Lorde Stark aceitou a proposta porque desconfia que o dono anterior do título fora envenenado pela manipuladora rainha - uma cruel mulher do clã Lannister - e sua intenção é proteger o rei. Mas ter como inimigo os Lannister pode ser fatal: a ambição dessa família pelo poder parece não ter limites e o rei corre grande perigo. Agora, sozinho na corte, Eddard percebe que não só o rei está em apuros, mas também ele e toda sua família.

A Guerra dos Tronos é uma história fragmentada e, ao mesmo tempo, única. Possui várias tramas paralelas que confluem numa só: a disputa pelo poder do Reino.

Os Stark, senhores do norte de Westeros (o incrível mundo à parte criado pelo autor), recebem a visita da família real e da corte. Eddard, o senhor e dono das terras, não recebe apenas o rei, mas sim um antigo amigo. Juntos, conquistaram o trono... Mas os anos podem mudar muitas coisas.


Robert Baratheon, o rei, chega para pedir a Eddard que ele seja sua Mão Direita (uma espécie de primeiro ministro), pois a sua antiga Mão Direita, Jon Arryn (outro amigo que os ajudou na conquista do trono de Westeros), morreu e agora o cargo deveria ser oferecido a Ned (ou Eddard, é a mesma coisa), por se tratar de seu amigo mais fiel.

Eddard Stark não pretende deixar sua casa e sua família e partir para o sul, onde é a morada da corte real. O contraste para ele é o de Inverno x Verão, já que sua casa fica no norte e quanto mais ao norte, mais geladas são as terras. Portanto, os Stark não se encaixam no sul, com toda a certeza.

Porém uma carta de Lysa Arryn, viúva de Jon Arryn e irmã de Catelyn Stark (esposa de Eddard Stark), chega para mudar os planos de Ned: a suspeita de que a família da rainha, os Lannister, tenha assassinado a Mão Direita faz com que Ned tome a iniciativa de investigar o perigo pelo qual Robert passa. E somente indo para o sul isso faria sentido. E a melhor maneira dele fazer isso seria aceitando o pedido de Robert. Assim, Ned se torna a nova Mão do rei e parte para o sul com alguns poucos vassalos de sua guarda pessoal, suas duas filhas (Arya e Sansa que eu apelidei em minha cabeça como Sonsa) e os lobos delas (cada filho seu tem um lobo gigante, que é o símbolo da Casa Stark).

Durante a estada da família real em Winterfell (a moradia dos Stark), uma tragédia acontece. Bran, o filho de sete anos de Ned, decide escalar os muros e torres de Winterfell, como sempre faz. Só que acaba descobrindo um segredo: flagra Cercei Lannister, a rainha, com Jaime Lannister (o irmão gêmeo). Para que o incesto não seja posto em público, Jaime empurra Bran do parapeito e o garoto acorda paraplégico.

Depois da corte e dos Stark partirem para o sul, Bran é atacado por alguém misterioso que tenta matá-lo. Porém, seu lobo gigante mata o assassino e Catelyn descobre que a adaga do ataque é de aço valiriano, e apenas um nobre ou alguém poderoso possui uma arma dessa. Decidida a descobrir quem é o mandatário do assassino, parte para o sul sem ninguém saber. Lá ela descobre que a adaga pertence a Tyrion Lannister, irmão anão da rainha. Voltando para Winterfell, o destino a faz cruzar com o Duende e, contrariando todos os códigos de conduta da época, torna-o seu prisioneiro.

Essa é a deixa para que Tywin Lannister, o senhor da Casa Lannister (cujo símbolo é um leão), declare uma inimizade extrema aos Lobos Gigantes (Stark). A partir de então, essa rixa se estende para todo o território, envolvendo todas as tramas do livro (ou as que se passam no Reino).

Há também os únicos sobreviventes da Casa que detinha o poder do trono de Westeros antes de Robert, Jon e Ned destituí-los: Viserys e Daenerys Targaryen. O primeiro (o irmão mais velho) é uma personagem ambiciosa e mesquinha, com a decisão de tomar de volta para si o trono que lhe é de direito. Porém, Daenerys, de 13 anos, é doce e inocente no início da história. Seu irmão a vende para um khal, espécie de "rei" dos selvagens (eles têm como alicerce da hierarquia o cavalo - andam montados e tudo que deriva dos equinos é considerado especial e "nobre"), em troca de um extenso exército (cuja entrega lhe foi sendo adiada e adiada e adiada...). Por serem selvagens, a cultura desse clã é de brutalidade. Daenerys sofre até se adaptar, porém conquista um lugar poderoso e perigoso entre eles (apesar de ser uma espécie de "rainha" por ser a esposa do khal).

Tudo piora quando o rei morre. E o clímax da história possivelmente insere-se aqui. A sucessão do trono transparece a ambição dos Lannister e de outras personagens, também. Além disso, confere ao leitor páginas de traições, mortes, conluios, batalhas... O livro se torna ainda mais adulto e consegue, como se fosse possível, absorver ainda mais a curiosidade/atenção do leitor.

Quanto ao seriado lançado pela HBO, só tenho elogios. É bem fiel, o que torna a experiência muito bacana, e o cast não poderia ser melhor (se tivessem escalado outra atriz para a Catelyn, seria melhor ainda, acho).
As cenas são excelentes, porém senti falta das batalhas que ocorreram no final do livro (deixam explícito que houve batalhas, mas não mostra). Sem contar que o Tyrion logo desmaia e não participa da guerra.
Ao lado, um infográfico com os atores e as personagens das Casas. É bem ilustrativo e bacana!
Quanto aos personagens do livro, são encantadores e muito bem criados. A genialidade que percebo na escrita do George advém justamente de sua capacidade para criar personagens com características tão diversas. Eu diria que a Daenerys é, possivelmente, a personagem que mais me cativou (junto com o Tyrion). Ela evolui muito com o transcorrer da história, e eu amo personagens corajosas e maduras! Com certeza, foi uma surpresa para mim. Já Tyrion Lannister concebeu as passagens hilárias com suas falas inteligentes e sarcásticas. Não tem como não gostar dele, apesar de ser um bad guy.

Outro ponto fortíssimo da escrita seria a história em si. Não contente com uma rica em acontecimentos incríveis, propôs uma teia de tramas complexa e genial. São vários núcleos que conferem ao livro uma completude excelente, abrangendo todo o mundo criado pelo autor. 

O que muito contribui para essa extensão de histórias é a narrativa. Sempre em primeira pessoa, cada capítulo possui o ponto de vista de uma personagem. Isto possibilita uma dinâmica necessária para um livro longo e para uma leitura não tão demorada.

6 comentários:

  1. eu acompanho o seriado, e mesmo antes já tinha muita curiosidade pra ler Guerra dos Tronos. meu único medo é de ele ser muito maçante, com toda a sua carga descritiva e aquelas milhares de páginas haha. Mas é um risco que me disponho a correr. Disseram pra mim que ler o livro depois de ver a série é quase como pegar o roteiro na mão, de tão bem adaptado, mas mesmo correndo o risco de ser repetitivo pra mim, que já conheço a história, quero ler logo e poder ir me adiantando nos acontecimentos enquanto as próximas temporadas não vem :)

    Beijocas
    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu só vejo o seriado apesar de ter o primeiro livro na minha estante. O problema é que eu não estou conseguindo colocar as minhas leituras em dia :/ Adorei a resenha e pelo que pude notar na resenha escrita (e que você confirmou no vídeo) a série é bem fiel. :) Fiquei um pouco mais animada sabendo dessa fluidez do livro.
    Beijos,K.
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
  3. Oi, Mell. Nossa, eu amo a série, amo o enredo e admiro a tirania de RR Martin com seus personagens, mas ainda não tive coragem de me agarrar com o livro. Tenho os três primeiros em casa. Sei que vou adorar, mas não sei, ainda não bateu aquela vontade de pegar ele para ler. No entanto, morro de curiosidade.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  4. Faz duas semanas que comecei a ler esse livro e ainda faltam quase 100 páginas para terminar, achei a história fantástica e me apeguei a diversos personagem entre eles Tyrion Lannister e o boy magia do Jon Snow. To com um certo problema para concluir a leitura: não quero que acabe, não quero que aconteça nada com os stark, não quero me decepcionar com a batalha... entre outros fatores, mais com certeza vou terminar o livro essa semana, vou terminar Ladrão de Almas hoje e amanhã já dou continuidade a leitura *-*.

    Beijos e até mais.

    ResponderExcluir
  5. Ai, Mell, estou relutando ao máximo para ler essa série porque são muitos livros e muito grandes e nem acho que fazem meu estilo, mas o pessoal tá falando tanto e depois desse vídeo eu vou ser obrigada a ler, rs. Vou ver algum site que esteja com promoção pra eu comprar.
    Não conhecia o blog, cheguei aqui pelo seu canal do youtube e fiquei apaixonada. Tudo muito cuidadinho e bonito (=
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Depois de ler GOT é difícil encarar outros livros de ficção da mesma maneira. Sem dúvidas RR Martin é o melhor escritor de literatura fantástica vivo.
    http://welcomettjungle.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo