15.2.13

Projeto Beletristas: Os três livros que mudaram a minha forma de ver e viver a vida


Conheci o projeto através do convite da Babi (Babi Lorentz) via Facebook e topei na hora o desafio literário e coletivo de um assunto pré-definido!
A segunda postagem coletiva do Projeto Beletristas propõe o seguinte tema: Os três livros que mudaram a minha forma de ver e viver a vida.
Inicialmente, achei que fosse encontrar dificuldades para responder e encontrar os livros mais adequados e os motivos mais sinceros, porém ao pensar nas escolhas, vi que foram mais de três que transformaram a minha visão de mundo. Porém, compartilharei os três que julgo serem os principais.

Apátrida, escrito pela autora nacional Ana Paula Bergamasco.
Skoob
Resenha
Entrevista com a autora
Sinopse: Ganhador do Codex de Ouro 2011: Melhor drama. "Uma pequena vila na Polônia. Uma menina repleta de vida. Um encontro. Vidas Ceifadas. Sonhos Destruídos. Infâncias Roubadas. As recordações da personagem Irena amarram o leitor na História do Século XX. Baseado no estudo dos fatos que marcaram a época, o palco da narrativa é a conturbada Europa pós Primeira Guerra Mundial, culminando com a eclosão da Segunda Grande Guerra e a destruição que ela provocou na vida de milhões de pessoas. A narradora conduz a exposição em primeira pessoa, e remete o leitor a enxergar, através de seus olhos, o cotidiano a que ficou submetida. É um relato humano, sincero e envolvente que revela a passagem da vida infantil feliz da menina, para o tumulto da existência adulta, cheia de contradições."


O primeiro livro que me vem à cabeça quando penso num mais completo quando se trata de lições de vida. E o primeiro que indico para quem gosta de drama e de romances históricos. Quando escrevi a resenha do livro, publiquei o seguinte: "Sim, leitores, não se enganem caso pense que somos constituídos apenas por qualidades, e da constatação dos referidos defeitos só temos a lucrar: aprendemos lições de vida e a enfrentar nossos medos a fim de corrigir nossos defeitos."
Além disso, essa é uma história capaz de ensinar a importância da união familiar, da fidelidade, do amor e da esperança.

O caçador de pipas, de Khaled Hosseini
Skoob
Sinopse: O caçador de pipas é considerado um dos maiores sucessos da literatura mundial dos últimos tempos. Este romance conta a história da amizade de Amir e Hassan, dois meninos quase da mesma idade, que vivem vidas muito diferentes no Afeganistão da década de 1970. Amir é rico e bem-nascido, um pouco covarde, e sempre em busca da aprovação de seu próprio pai. Hassan, que não sabe ler nem escrever, é conhecido por coragem e bondade. Os dois, no entanto, são loucos por histórias antigas de grandes guerreiros, filmes de caubói americanos e pipas. E é justamente durante um campeonato de pipas, no inverno de 1975, que Hassan dá a Amir a chance de ser um grande homem, mas ele não enxerga sua redenção. Após desperdiçar a última chance, Amir vai para os Estados Unidos, fugindo da invasão soviética ao Afeganistão, mas vinte anos depois Hassan e a pipa azul o fazem voltar à sua terra natal para acertar contas com o passado.

Marcado por uma sociedade segregadora e preconceituosa, repleta de injustiças, hostilidades e, o pior de tudo, desumana, duas crianças me ensinaram, através de uma trajetória sofrível (e que me fez não ter vontade de assistir ao filme, justamente por se tratar de uma história dolorosa), a respeitar o próximo (quem quer que seja) e a zelar pela amizade verdadeira.

Admirável mundo novo, de Aldous Huxley
Skoob
Sinopse: Ano 634 d.F. (depois de Ford). O Estado científico totalitário zela por todos. Nascidos de proveta, os seres humanos (pré-condicionados) têm comportamentos (pré-estabelecidos) e ocupam lugares (pré-determinados) na sociedade: os alfa no topo da pirâmide, os ípsilons na base. A droga soma é universalmente distribuída em doses convenientes para os usuários. Família, monogamia, privacidade e pensamento criativo constituem crime. Os conceitos de "pai" e "mãe" são meramente históricos. Relacionamentos emocionais intensos ou prolongados são proibidos e considerados anormais. A promiscuidade é moralmente obrigatória e a higiene, um valor supremo. Não existe paixão nem religião. Mas Bernard Marx tem uma infelicidade doentia: acalentando um desejo não natural por solidão, não vendo mais graça nos prazeres infinitos da promiscuidade compulsória, Bernard quer se libertar. Uma visita a um dos poucos remanescentes da Reserva Selvagem, onde a vida antiga, imperfeita, subsiste, pode ser um caminho para curá-lo. Extraordinariamente profético, "Admirável mundo novo" é um dos livros mais influentes do século 20.

Já Admirável mundo novo, como um clássico distópico, me gerou diversas reflexões a respeito das falhas humanas, principalmente quando em sociedade e, esta, guiada por ganância (poder acima de tudo). Uma leitura que, ácida e totalmente crítica, com certeza muda a forma de pensar!

Blogs participantes:
Revista Innovative
Tagarelando
Café com Letras
Letras e Folhas
Juh Claro
Mariana Pereira
Babi Lorentz
Páginas Encantadas
Magia Literária
Drafts da Nica
Na cabeceira da cama
Passaporte Literário

3 comentários:

  1. Quando fiz meu post fiquei pensando muito se colocaria O caçador de Pipas entre os meus três. Ele foi o primeiro livro que me fez mudar o modo de ver a vida, mas decidi colocar A cidade do Sol, que é o outro livro do autor, que é tão lindo e triste quando esse.

    Beijinhos,
    May :*

    ResponderExcluir
  2. Quando fiz meu post, quis mostrar muito do meu lado literário, apesar de ter colocado Pollyanna pra mostrar o Jogo do Contente, que acabou sendo algo que eu faço na minha vida até hoje em momentos difíceis, afinal, poderia ter sido pior...
    Adorei as escolhas. Destes, só li O Caçador de Pipas e o que você disse é basicamente o que eu também sinto.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. É a segunda vez que vejo Apátrida nessa lista, o que sinceramente despertou meu interesse sobre o livro - que nunca antes tinha me interessado, sendo sincera. O Caçador de Pipas está na minha lista de leitura, mas ainda não tive coragem para ler - acho que vai ser daqueles para cair no choro e não tô muito no clima para isso :x Tem que estar preparada, eu acho.

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar e comentar no Literature-se.
Assim que puder, visitarei o seu blog. Caso não tenha um, deixe twitter, Facebook ou e-mail para que eu possa respondê-lo :)
Dicas, sugestões e críticas construtivas? Comentários abertos para isso e muito mais, só contando com aquela boa dose de bom-senso necessário, né? ;)

 
Literature-se © Todos os direitos reservados :: Ilustração por Prih Mizuh (@pri_mizuh) :: voltar para o topo